sábado, 24 de novembro de 2012

TOLA VINGANÇA

Tola Vingança (Reynollds Augusto)
 
Eu sempre fui um admirador dos clássicos orientais, pois eles encerram princípios que norteiam a vida.
 
Essa semana no estudo do Esle, que acontece todas as quintas-feiras, no Centro Espírita Jesus de Nazaré, tratamos da vingança. Um sentimento triste que ainda está enraizado no coração de muita gente boa e que provoca as chamadas enfermidades  psicossomáticas, deixando as pessoas com aquelas “doenças misteriosas”, que surgem de súbito.

  O encontro é bem interessante porque nos faz refletir sobre as nossas vidas e identificar onde precisamos melhorar. Isso se chama REFORMA ÍNTIMA, que é o mesmo que FELICIDADE, que é o mesmo que “SALVAÇÃO”. O equilíbrio pessoal é um esforço íntimo e jamais uma graça de Deus ou o resultado dessas “mágicas” da fé, que não existe.
 
Tudo isso me fez lembrar de Jesus, em Marcos quando ele assevera: “Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me”...
 
E tem gente “vendendo” milagres a quilo. São os vendilhões dos templos, modernos, relacionando as bênçãos de Deus, com as posses e fomentando ilusões no seio dos cegos, que são todos nós ainda imaturos e desavisados. Estamos todos nos direcionando ao fosso.
 
Ainda bem que existe a reencarnação para que corrijamos os equívocos e tenhamos a oportunidade de nos depurar. Temos a imortalidade. Mas até lá muita gente boa sofrerá por conta de suas escolhas, como um pai que puxa a orelha dos seus filhos que não querem aprender pelo exemplo.
 
Há uma lenda chinesa, que gosto muito, e que é muito tradicional entre eles: O rei sol tinha uma filha muito amada, tão linda que até o imperador Amarelo era cheio de admiração por ela. O rei sol sempre saia para dirigir o curso da aurora a cada manhã e sempre a filha desejava ir, mas como tinha muito afazeres a cumprir não permitia. A danada da menina – coisas de criança- pegou um barco escondido e remou secretamente atrás do pai. Veio uma tempestade e ela foi tragada pelo o mar e o pai ficou tomado de tristeza.
 
A lenda disse que a menina renasceu como um pássaro muito conhecido na região, de cabeça listrada, garras vermelhas e bico branco. Tem um canto lamentoso e por isso foi chamado de Jingwei. O pássaro prometeu se vigar do mar, dizendo que o transformaria em terra seca. Começou a fazer uma coisa impossível. Catava pequenas pedras com o bico, voando de sua casa para o Mar do Leste e deixava cair sobre as ondas, com o propósito de aterra o mar.
 
O lado bom da estória é a persistência do pássaro atingir os seus objetivos. Jesus também disse que aquele que perseverar até o fim “será salvo”. O lado ruim é o empenho que ele realiza em querer realizar uma vingança que não vai dar em nada. Vai morrer tentando.
 
- Pequeno pássaro, desista! Mesmo se trabalhar por um milhão de anos você nunca me transformará numa planície deserta.

  - Mesmo que eu leve dez milhões de anos ou cem milhões de anos, até o final do mundo, vou tratar de fazer de você terra seca.
 
Tem muita gente boa que vive como o pássaro, alimentando o ódio, potencializando o seu orgulho. Mesmo que jamais consiga atingir o alvo, que considera seu inimigo, não desistem. Mesmo que o organismo nos revele que o nosso sentimento está causando doenças psicológicas, como depressão e tudo mais e até câncer. Mesmo assim se persiste nos erros. Sofremos, choramos, mas ratificamos bradando até o fim:
 
“Morro, mas não me entrego! Vou até o fim”.
 
Se você é assim leitor mude de direção enquanto há tempo. Não sofra mais e viva leve, feliz, perdoando. Jesus nos propôs a reconciliação com o adversário, enquanto esta a caminho com ele.
 
O Esle de quinta foi magnífico. Estamos lhe esperando à próxima lição.
 
PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA MESMO
www.pensenisso.itaporanga.net

terça-feira, 20 de novembro de 2012

O Poeta do Oiti faz cordel sobre o dia da Consciência Negra

O Poeta Nicário Palmeira Honorato Palmeira, o Poeta do Oiti, faz cordel em homengaem ao a Conciência Negra.


O Dia da Consciência Negra


O Dia Nacional da Consciência Negra é celebrado em 20 de novembro no Brasil e é dedicado à reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira. A semana dentro da qual está esse dia recebe o nome de Semana da Consciência Negra.

A data foi escolhida por coincidir com o dia da morte de Zumbi dos Palmares, em 1695. O Dia da Consciência Negra procura ser uma data para se lembrar a resistência do negro à escravidão de forma geral, desde o primeiro transporte de africanos para o solo brasileiro (1594).

Algumas entidades como o Movimento Negro (o maior do gênero no país) organizam palestras e eventos educativos, visando principalmente crianças negras. Procura-se evitar o desenvolvimento do auto-preconceito, ou seja, da inferiorização perante a sociedade.

Outros temas debatidos pela comunidade negra e que ganham evidência neste dia são: inserção do negro no mercado de trabalho, cotas universitárias, se há discriminação por parte da polícia, identificação de etnias, moda e beleza negra, etc.

O dia é celebrado desde a década de 1960, embora só tenha ampliado seus eventos nos últimos anos.

wikipédia

Vejam o Poema:

Retrato da discriminação e Zumbi – líder do quilombo 

A Cor da Igualdade

Um mundo sem preconceito

Sonhamos um dia ter
Mas para isso precisamos
Lutar para merecer
Um futuro diferente
Onde cada um vivente
Seja igual no seu viver

XX


Como pode um ser humano

Ser no mundo desigual
Se o coração e a mente
Só trabalham por igual
Se na vinda e na partida
Respiramos a mesma vida
De um ser celestial

XX


Se do barro nós viemos

Sendo uma família só
E num sopro de poder
Vemos a lua e o sol
E porque descriminar
Se um dia vamos estar
Corroídos pelo pó

XX


Ser negro branco ou pardo

Toda cor é natural
Seja legítimo ou bastardo
Respiramos por igual
E um mundo com respeito
Não pode ter preconceito
Nem de cor nem racial


Nicário Palmeira Honorato - Poeta do Oiti

domingo, 18 de novembro de 2012

O portal Pedra Bonita entrevista Paulo Rainério Brasilino, o criador do FICA

O portal Pedra Bonita entrevista Paulo Rainério Brasilino, o crriador do FICA. Nesta segunda edição o Festival Itaporanguense de cultura e Arte, terá três dias de duração, 15, 16 e 17 de novembro com 47 atrações.

Vejam o vídeo:


O portal Pedra Bonita entrevista Paulo Rainério Brasilino, o crriador do FICA

A entrevista foi ao ar no dia 14 de novembro

SEGUNDA NOITE DO "FICA" REUNIU CENTENAS DE PESSOAS QUE FORAM PRESTIGIAR OS ARTISTAS LOCAIS. CONFIRA FOTOS, VÍDEOS E A PROGRAMAÇÃO DE ENCERRAMENTO!



Muita gente atendeu novamente  nessa sexta-feira,16, ao convite para assistir a segunda noite do Festival Itaporanguense de Cultura e Arte - o FICA, que já acontece há dois anos consecutivos. Com uma programação diversificada e buscando atender aos mais variados estilos e gostos. 
Com início pouco depois das 7h da noite e se estendendo até a madrugada deste sábado (17), cantores em dupla ou de grupos musicais da cidade aproveitaram o espaço concedido pelo Festival para demonstrar seu trabalho, fruto da inspiração e talento que possuem. 

Prestigiando também este grande evento cultural, estiveram Jucivan Araújo coordenador e articulador cultural da região juntamente com o representante da secretaria estadual de cultura do estado Rosildo Oliveira, onde aproveitou para elogiar a iniciativa e realização do evento e ao mesmo tempo assegurando a inclusão do Festival no circuito cultural estadual. Além dele, o prefeito eleito Audiberg Alves acompanhado da primeira-dama Naura Ney reafirmou que sua gestão apoiará da melhor forma possível em parceria com o governo estadual a realização do próximo FICA em 2013.

Entre os artistas que estiveram se apresentando na segunda noite do Festival, estavam Chico Candido que trouxe todo o saudosismo romântico através de suas canções, a dupla Daniel e Jean / Carlos e Daniel animando o público no melhor estilo sertanejo universitário, o  famoso poeta e cordelista Merlânio Maia declamando versos e contando 'causos' ao lado do também grande maestro e compositor Bebé de Natércio  que chamaram muita atenção da plateia durante suas belas apresentações. O romântico Nilton Mendes cantou belas músicas de sua própria autoria e algumas da jovem guarda, fazendo a alegria e embalando os passos de dança de muitos casais.  Já caminhando para o encerramento da segunda noite do FICA, o timbre vocal da cantora Lourdes Vicente assemelhado ao de Paula Fernandes surpreendeu muita gente. E agitando a galera com todo o seu swing , Elson Pressão fez muita gente se mexer acompanhando e dançando grandes sucessos do pagode e axé.


E na tarde deste sábado, quando se encerra o II FICA, aconteceu uma oficina de música ministrada pelo reconhecido músico itaporanguense Gilvandro Pereira (popularmente conhecido como azeitona do trombone), que é um dos destaques para esta noite de sábado, onde acontece encerramento da segunda edição do Festival Itaporanguense de Cultura e Arte - FICA.


Confira através de fotos e vídeos alguns dos artistas que passaram pelo grande palco do FICA em sua segunda noite de apresentações.

Confira algumas imagens:

Chico Candido
Daniel e Jean
Lourdes Vicente
Nilton Mendes
Elson Pressão
Público prestigia os artistas locais

Assista aos Vídeos: 
Outros vídeos assista diretamente em nosso canal no Youtube, clicando AQUI!

VEJA A PROGRAMAÇÃO PARA O 3º E ÚLTIMO DIA DE APRESENTAÇÕES 
DO II FICA:

SÁBADO
7H00 – CABO MOISÉS E ZÉ DO GALO
7H20 – O MUNDO MÁGICO DE PATRÍCIA
7H30 - GRUPO GICI
7H40 – EDMILSON E LUZES DA RIBALTA
8H30 – DERLAN
8H40 – EVANDRO
9H00 – FABINHO DO ACORDEON
9H30 – ZÉ DO AGRESTE – Onildo
9H50 – XAMEGO BOM
10H20 – CABO HONORATO
10H35 - JULIÃO
11H05 – AZEITONA DO TROMBONE
11H35 – MENSAGEIROS DO SAMBA
12H10 – FORRÓ DA LAMPARINA
12H45 – FORRÓ DA PLAYBOSADA
01H30 – GEORGE / WILKA E HELOISA
02H00 – DJ CARTAXO


*OBS.: A programação está sujeita a alterações pela produção do evento em virtude de possíveis imprevistos.

Publicado em 17 de novembro por

Edízio Marques Lemos - Itaporanga Online

1ª NOITE DE APRESENTAÇÕES DO FICA - FESTIVAL ITAPORANGUENSE DE CULTURA E ARTE; VEJA COMO FOI!

Ocorreu na noite dessa quinta-feira, 15, na avenida Getúlio Vargas - centro de Itaporanga, a primeira noite do II Festival de Cultura e Arte (FICA). As apresentações começaram por volta das 19h e se estenderam até o começo da madrugada desta-feira. Em sua segunda edição, o FICA é dedicado como homenagem póstuma a Eduardo Bernardino, um grande apoiador do evento, que teve sua também sua foto exibida em um grande telão.

No palco, os valores da terra se revezam em suas apresentações que de modo eclético iam desde grupo de dança como foi o da escola creche Santa Clara de Assis, passando pelas rimas e contos do poeta J.Sousa, a versatilidade das bandas e grupos de raiz locais tais como A Cor do Som, Saco de Estopa e Maçã com Mel, e o talento vocal da dupla Carlos e Daniel, e da apresentação do cantor Batistuta entre outros que mostraram o melhor de si num gesto de avivamento e fortalecimento da cultura local . 

Mas, um dos grandes destaques da noite e que por aqui não havia sido visto antes em um grande palco foi a apresentação da Banda Cabaçá, onde seu som característico deve ter feito os mais velhos lembrar dos tempos idos, uma época muito boa para muitos e que não volta mais. 

Mas nem só de apresentações no palco consiste o FICA, fora dele há tendas armadas que exibem a grande força criativa, o talento da gente de nossa terra. Este é o caso do artesão "seu Gabriel", que utiliza como matéria prima Cabaças dos mais variados tamanhos e  formatos, bem como também peças de madeira de árvores bem conhecidas do sertanejo. Um trabalho que enche os olhos pela sua beleza, além de ser até mesmo ecologicamente correto.

Nesta sexta-feira, 16, mais outras atrações representando a cultura e arte locais estarão presentes na segunda noite do Festival Itaporanguense de Cultura e Arte, onde haverá duas apresentações de destaque que são as de Merlânio Maia e de Bebé de Natércio.

Vale a pena sair de casa e acompanhar, incentivar e prestigiar o talento de nossos conterrâneos que tanto fortalecem e enriquecem a nossa cultura.

Confira algumas imagens clicadas pela nossa reportagem:
 

Publicado no dia 16 de novembro por
Edízio Marques Lemos - Itaporanga Online

ESTÁ TUDO PRONTO PARA O "II FICA", QUE ACONTECE LOGO MAIS À NOITE. VEJA A PROGRAMAÇÃO!


Durante parte da manhã e tarde deste feriado, 15 de novembro, os últimos preparativos para o II FICA - Festival Itaporanguense de Cultura e Arte, eram realizados na Avenida Getúlio Vargas com a montagem do palco e do som que serão usados durante os três dias de apresentações do Festival que serve de vitrine cultural para os artistas locais nas suas mais diferentes manifestações e está em vias de entrar oficialmente para o calendário  tradicional de eventos em Itaporanga.

O  II FICA terá ao todo mais de 40 atrações distribuídas nos dias 15 a 17 de novembro, onde passarão pelo palco uma média de 15 artistas em cada noite de apresentação. Hoje, dia 15, será a primeira noite da segunda edição do Festival, que é i idealizado e coordenado por Paulo Rainério Brasilino - que também é editor de um site de notícias, o Portal do Vale.Net. Em cada uma das noites, as atrações sempre começarão a partir das 19h e se estenderão até o começo da madrugada. 

O evento terá transmissão ao vivo via rádio pelas ondas da Boa Nova FM, que opera na frequencia 87,9 e será retransmitido também aqui pelo IOL -  Itaporanga Online.

O Festival acontece em praça pública, na Avenida Getúlio Vargas - centro da cidade, e todos os que puderem estar presentes serão bem vindos para apreciar e até mesmo rememorar toda a arte e cultura de nosso povo.

Confira agora a programação para esta quinta-feira, a primeira noite do II FICA:


19:00 - BANDA MARCIAL "MARTA BATISTA DE MOURA"
20:00 - DANÇA DA ESCOLA CRECHE SANTA CLARA DE ASSIS
20:20 - CABO MOISÉS E ZÉ DO GALO
20:40 - SOCORRO OLEGÁRIO
20:50 - "BANDA CABAÇÁ"
21:10 - J. SOUSA
21:55 - A COR DO SOM
22:00 - ALINE
22:30 - GEORGE
23:00 - ZÉ DO AGRESTE (ONILDO MENDONÇA)
23:20 - LOURDES VICENTE (COVER DE PAULA FERNANDES)
23:35 - CARLOS E DANIEL
23:50 - DANIEL E JEAN
00:00 - SACO DE ESTOPA
00:40 - MAÇÃ COM MEL
01:20 - BATISTUTA
02:00 - PAIXÃO.COM


Publicado no dia 15 de novembro de 2012 por 
 
Edízio Marques Lemos - editor do Itaporanga Online