sábado, 28 de julho de 2012

Um Turismo Rural por Itaporanga


Um Turismo Rural

( Reynollds Augusto)



Eu adoro o sertão. Se tivesse de nascer de novo, como diria o poeta Luiz Gonzaga, eu nasceria em Itaporanga, morava na rua treze de Maio e apreciaria, todos os dias, o nascer do sol, da varanda do meu quarto, visualizando o símbolo da paz, de braços abertos à cidade, que o grande Padre Zé construiu, para o nosso deleite e reflexão. Ah! Estudaria DIREITO e me aperfeiçoaria como ser humano, para me tornar UM HOMEM DE BEM, com base na proposta da Doutrina Espírita,  que é  JESUS de volta, escola do GRANDE CHICO XAVIER.



Mas ontem eu peguei a minha moto e saiu por ai, nas estradas da vida a apreciar a nossa bela caatinga, com sua vegetação natural, com seus riachos e com o seu povo humilde, mas feliz. A maioria de nós não conheceu Itaporanga e só damos notícias dela em época de zoada, em época de São Pedro e na verdade esse momento representa 0,50 por cento da magia que é nossa terra. Outros são caolhos e só veem as dificuldades. Isso me fez relembrar o Mito da Caverna de Platão, onde o desperto, depois de ver a beleza que há lá fora, com a luz do saber a iluminar a vida, volta para espalhar a descoberta, chamar os amigos aprisionados, e eles riem, não querem se libertar na ignorância que os aprisiona.



A figura tem a ver, também, com a proposta espírita, que não sendo a melhor, é uma das melhores, para que possamos viver uma vida com equilíbrio e satisfação. A ignorância, o preconceito, os atavismos, nos aprisionam nas cavernas escura das ilusões.



Mas o sertão continua lindo e poético. Fiquei feliz quando vi que a administração está realizando um trabalho de traspor a água do velho açude do cantinho às casas da região. O Serviço está andando. Coisa bonita de se ver, para dar mais alegria a um povo carente.



Na minha adolescência, que os anos não trazem mais, tomei muitos banhos naquele açude e fui muito feliz por aquelas bandas. Na época gostava de uma cachacinha e pensava que estava me divertindo com a “danada”. Ainda bem que sai dessa caverna e hoje me encontro com os amigos, me divirto mais que todos os “bebuns” juntos e consciente, satisfeito, feliz.



Quem tinha uns pedacinho de terra, na localidade, eram os meus amigos, agora na pátria espiritual, ZETINHO, pai do meu primo e amigo de infância, GLEIDSON e o grande ANTÔNIO PEREIRA, barbaramente assassinado pela ignorância humana. Saudades dos dois. Mas o reencontro é certo, como certa á a certeza de nossa imortalidade e que a morte só destrói o corpo, libertando o espírito que foi criado, por Deus, para experiências, conquistas até encontrar a plenitude, que algumas religiões apelidam de salvação. Não importa.



Se você reside em Itaporanga, saia da rotina pegue a sua moto e saia por ai a respirar esse ar puro, ver a natureza, sentir a beleza da região, descobri lugares inimaginavelmente  lindos , se encontrar com esse povo humilde e bom da zona rural e agradecer a Deus por ter nascido nessa terra mágica e simplesmente bela.



PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA



Wwww. reynollds.blogspot.com

sexta-feira, 27 de julho de 2012

AULA ESLE 260712 - PEDI E OBTREIS

PEDI E OBTEREIS E INTERVENÇAO DE

DEUS NAS PENAS

                                                                                                        ( Reynollds Augusto)


Todas as quintas, pelas 20 horas, nós temos um encontro semanal, no Centro Espírita Jesus de Nazaré. Aquele Centro criado por Malto Diniz e administrado, por muitos anos, por DONA MARIA E SEU FERNÃO, dois espíritos generosos, que já estão no mundo espiritual. Apelidei os encontros semanais de ESLE, Educação dos Sentimentos e O Livro dos Espíritos. Estudamos os dois livros básicos da codificação que estão atualíssimos. E isso é assim, pois têm como base princípios e eles são como a verdade, que consola e liberta, o tempo não destrói.
A reunião objetiva estudar temas que realmente interessam ao Espírito imortal. Se nós não nos dermos à oportunidade de oxigenar a mente com elementos de convicção espiritual, faremos as piores escolhas e consequentemente dificultaremos a nossa evolução, pois, iremos alimentar as nossas vidas com as ilusões e a ilusão trás, mas cedo ou mais tarde, dor e sofrimento. É por isso que eu não me desgarro na tese espírita e da casa espírita. Lá é o meu refúgio e faço o possível para estar estudando os temas de libertação pessoal, pois somos bombardeados com os temas do materialismo sufocante e do consumismo exagerado, que aniquila pouco a pouco o nosso lindo planeta.

Somos como cupins, destruindo a nossa casa. Não respeitamos as árvores, os rios, o ar... Coitados de nós! E o céu é aqui. Tem gente que vive nas religiões achando que ao “morrer” vão encontrar o céu, que nada mais é do que um estado de espírito. Buscam lá, quando ele está aqui. Apesar de estarmos morando em um planeta de provas expiação, você pode ser feliz tanto quanto o planeta permite, e seria bem mais feliz se não alimentasse tanta bobagem.

Nós tratamos desta feita do capítulo XXVII de ‘O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO”. Um Livro especial que trata da moral ensinada por Jesus, sem véus. E nós aprendemos algo: A qualidade da prece.

E a prece tem qualidade? Prece não é prece?

Não.
Há preces e há preces.


Quando orardes, não vos assemelheis aos hipócritas, que se comprazem em orar em pé nas sinagogas e nas esquinas das ruas para serem vistos pelos homens”. Em verdade, vos digo, eles receberam sua recompensa. Mas quando quiserdes orar, entrai em vosso quarto e, estando fechada a porta, orai ao vosso Pai em segredo; e vosso Pai, que vê o que se passa sem segredo, vos recompensará.


Não afeteis orar muito em vossas preces, como fazem os gentios, que pensam ser pela multidão de palavras que serão atendidos. Não vos torneis, pois, semelhantes a eles, porque vosso Pai sabe do que necessitais antes de pedirdes (S Mateus, cap. VI v.5.8).


O nosso pobre orgulho não percebe que a vida é uma matemática perfeita, como disse Einstein. A causa causal de tudo (Deus) criou leis que nos regem a existência e são elas que nos regulam e dá a cada um o que é seu. Esse tema gerou muitas discussões profundas por nossos debatedores e o tema foi desmiuçado em sua profundidade e de acordo com as nossas limitações, pois quanto mais maduro somos, melhor percebemos a ordem de Deus para as nossas vidas. É por isso que há muitas religiões tentando se aproximar de uma mesma ideia, que é rica e permite inúmeras intepretações, cabendo a nós procurarmos a verdade, verdadeira; pois ela não pode estar em coisas que divergem e isso é um trabalho milenar, intransferível, mais sem pressa.

Mas somos imortais. Se o leitor pensa que essa vidinha de “uns cem anos” é alguma coisa, tá enganado, ela escorre pelas mãos. O corpo passa e nós continuamos.

Mas o que eu pedir a Deus, vou conseguir?

Pode ser que sim, pode ser que não.

Pedir é importante, pois implica humildade, mas tem gente que não pede bem e o pedido está envolto do orgulho e do egoísmo, que são as duas grandes chagas da humanidade. Dessa forma o pedido é “indeferido”, por se pedir mal e por não se ter elementos de provas que convençam a vida, do que se pede. Sem falar que muitas vezes pedimos algo que não será bom para nós e a jurisdição divina, de pronto “sentencia no mérito”, não dando o que definitivamente não merecemos. Há um certeza: a prece nunca fica sem resposta. E o pedido será satisfeito se acordo com o nosso merecimento e se o objeto do pedido realmente é justo. Não é que Deus fica olhando cada um se apontando o dedo. Ele criou leis justas e perfeitas que nos regulam e é por isso que todos nós temos a vida que merecemos.

Os espíritos responderam a Kardec que Deus, se ocupa com todos os seres humanos que criou por mais pequeninos que sejam e que nada para a sua bondade é destituída de valor, mas que faz isso por meio de leis e se nós a violamos a culpa é nossa. Somos, por exemplo, “expert” em cometer excessos e o Pai não profere nenhum julgamento. Há os próprios limites. A enfermidade é uma delas. Muitas pessoas morrem pelo excesso e eis ai a punição. É o resultado da infração da lei. Assim é em tudo.

Peça, meu amigo. Mas peça bem. Mas, antes de tudo, agradeça. A sua vida é a maior de todas as bênçãos. O resto é lei de causa e efeito, é consequência, é merecimento.


“A cada um segundo as suas obras”

Quinta, dia 02 de agosto , teremos mais um lição.

Te esperamos!
PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA.
 

segunda-feira, 23 de julho de 2012

As Experiências Vividas Ficam Registradas Para Todo o Sempre


As Experiências Vividas Ficam Registradas Para Todo o Sempre
                                                                       ( Reynollds Augusto)
 Eu sou um saudosista de carteirinha, pois as boas lembranças alimentam a alma e vivicam o espírito, que jamais morre. O corpo é um instrumento, que o espírito usa para se aperfeiçoar, aprender, resignificar valores, evoluir para Deus, a causa causal de tudo.
 A vida é muito inteligente para que tenha nos condenado à morte, a deixar de existir, quando o corpo se vai. Se assim fosse, seria uma das grandes pegadinhas de Deus e, assim sendo, não tinha sentido viver, sonhar, construir. Se assim fosse, os valores morais se perderiam no intricado mundo egoísta do pobre ser humano orgulhoso e o preceito: “aproveite tudo enquanto há tempo”, estaria em voga.  Mas pensar assim é uma grande bobagem.
 Gosto dos escritos de Deon e Titico Pedro, pois são duas grandes memórias de nossa querida Itaporanga, cada um em seu tempo. Se nós não explorarmos os acontecimentos, experiências vividas de cada qual, elas morrem com a personalidade. É claro que a individualidade, o espírito, deixa tais experiências registradas para todo o sempre, mas quando na condição de “ESPIRITO” fica mais difícil realizar tais registros. Então o momento é agora, enquanto estamos a caminho.
 Esses comentários em torno de dona MAROQUINHA resgataram as minhas raízes e me fizeram locupletar de belas sensações.  Foi por isso que propus ao ARIOSVALDO para construir um espaço chamado “MISERICÓRDIA DE ONTEM, ITAPORANGA DE HOJE” (http://ontemehoje.itaporanga.net/), termo usado por Deon, em um de seus belos textos.
Há muita memória e história a resgatar. Falei com meu irmão NILTON MENDES e esse tem ricas memórias sobre Itaporanga, que não podem ficar guardadas nos porões da mente; disse que iria me ajudar a resgatar tais estórias e histórias.
 Nos arquivos jornalísticos do meu saudoso pai Ademar Augusto existia muitas fotos da vida política de Itaporanga de ontem, mas um súbito lhe acometeu e ele empreendeu um “crime” histórico, rasgando todas as belas fotos.  Eu, garoto, inocente, apenas observava. Que Pena!  Madruga, Adailton Teódulo, João Franco, Marleno... comícios, passeatas e tudo mais, belas fotos de um tempo que não volta mais, nessa imortalidade que não cessa.
Maroquinha, mãe de Marisa, tinha uma loja em frente à casa de minha saudosa avó, DONÁRIA CABRAL, na Avenida Getúlio Vargas. Minha linda avó morava com Tia Zélia e Tio Vando, duas grandes almas. Lembro-me que, quando pequeno, me dirigia ao comércio dela para ver as novidades que surgiam dos grandes centros: brinquedos eletrônicos, belos enfeites, em uma loja que atraia os olhares pelo brilho. Naquela época, era uma das melhores lojas de Itaporanga e eu, menino “buchudo”, ficava encantado com as novidades.
 Lembro-me que, na época, surgiu um brinquedinho de memória chamado “Gênius” e você tinha que acompanhar os sons e luzes intermitente do brinquedo, que aumentava a velocidade e o grau de dificuldade a cada etapa alcançada. Era um negócio danado e poucos conseguiam chegar à última fase, ou melhor, nunca vi alguém chegar. Era uma espécie de computador da época.  Um exercício da memória.
 A Maroquinha torço para que ela tenha tido um bom despertar no mundo dos espíritos, nossa verdadeira casa, sem as ilusões da dimensão material. Aos parentes, filhos, amigos, a certeza do reencontro, que chega logo, logo, pois o tempo é uma ilusão, segundo o grande Einstein.
 “Não há morte em lugar nenhum da vida”
 PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA MESMO.

domingo, 22 de julho de 2012

24 ANOS DE TRABALHOS NO BEM


Nada mais salutar e emocionante do que reencontrar amigos.  Mais do que amigos, irmãos de longas datas, de outras paragens, da estrada da vida do espírito, que segue imortal, rumo à plenitude. Esses encontros nos dão motivações para seguir em frente, firmes, levantando essa bandeira de amor e esclarecimento, que é o espiritismo, e que tem Jesus como seu condutor maior.

E pensar que há mais de 20 anos uma pessoa estranha, que desconhecia completamente Itaporanga, me procurava pelas ruas da cidade, a “mando” de um amigo espiritual, cognominado de” UM AMIGO POETA” e que, hoje, sabemos tratar-se de INÁCIO DA CATINGUEIRA. O espírito dizia ao grande amigo e irmão Eduardo, que nessa cidade havia despertado “cedo de mais”, um jovem para o Espiritismo e estava meio que perdido. Deu as coordenadas e ele veio à minha procura e assim nos reencontramos. Espíritos de uma mesma colônia, reencarnados na mesma região e que estão compromissados de levar a bandeira do Cristo, renovada.

 A sensação de reencontro foi certa, como certa é a reencarnação, que aproxima as almas e aprimora cada pessoa. Fui levado ao Centro Espírita de Catingueira e lá reencontramos outros amigos e até hoje estamos sempre unidos pelo coração.

Vinte e quatro anos depois, estamos aqui em Catingueira, nos reunindo para comemorar os 24 ANOS DO CENTRO ESPÍRITA JESUS DE NAZARÉ, “A casa de Jesus que respira poesias”. É muita alegria! E como sempre lá estava ele, o UM AMIGO POETA, cantando a vida em versos.  Trazendo-nos, como sempre, lindos versos, que falam de “VERDADE”. Aquela verdade, verdadeira. O poeta espiritual, que já tem material escrito para mais dois livros. A quem rendemos graça pela amizade que tem para com todos nós. 

É bom ter amigos espirituais. O poeta me ajudou muito naquele episódio em que me acidentei; acidente esse, que quase me custou a vida física, mas que me serviu de experiência para que eu pudesse deixar de lado as ilusões do caminho.

A festa de comemoração aconteceu em um local diferente e muito bonito. O “SPIRITIBUS”, do VICENTE TOBIAS PAI, conduziu os caravaneiros, cuja direção estava a cargo do VICENTE TOBIAS FILHO. A Juventude do JEITA se fez presente e cantou aquelas belas músicas que “inebriam” a alma. 

Mas o bom mesmo foi o espetáculo de arte encenado pelos evangelizandos que mostraram como tudo tinha começado. A garotada fez bonito e muita gente, que não ninguem de ferro, chorou com as tramas da vida para ajuntar almas afins. Os meninos estão de parabéns.

 A juventude Espírita de Itaporanga fez um show à parte, com as suas belas músicas.

Falaram Heculano Pereira, o mais novo coordenador do movimento espírita do Vale do Piancó; Eduardo Maia e Dr. Fernando Loureiro, um médico que nos ensina melhor tratar do corpo, para se ter uma vida de qualidade.

Foi uma noite de alegria e muita emoção...

PARABÉNS CENTRO ESPÍRITA JESUS DE NAZARÉ DE CATINGUEIRA

PARABENS AMIGO POETA!

“O Cristo espera por nós”

PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA.

ESPIE: 

www.poesiasdoalto.blogspot.com