sábado, 9 de junho de 2012

A VOZ DOS CÉUS

A VOZ DOS CÉUS
                      (Reynollds Augusto)



Eu sempre apreciei os encontros espíritas, porque eles fornecem combustíveis para que possamos viver com mais alegria, compreendendo o nosso papel na vida. Eles não são um fim em si mesmo, mas são meios,  para que não desistamos dos objetivos maiores. Os apelos do mundo encharcam as nossas mentes e empanam a visão , mas esses encontros, com Jesus, dinamizam o interior e nos sustentam à caminhada.

Já participei de um encontro, aqui na Paraíba, com a carioca Ana Guimarães, e a mulher encanta pelo verbo, que esclarece; e pela voz sensível, que dulcifica. Ana , quando fala, nos transporta ao mundo da ideação. Um dia ele será real e  fará parte do  nosso cotidiano, no tempo certo, pois isso indica o progresso que é de ordem divina, ou como dizem os juristas, é "procedimento de ordem pública" e ninguem pode mudar, nem mesmo o juiz. E isso é assim pois não se pode macular  essa ordem estabelecida por Deus, tendo em vista,  um dia,  “os bons herdarão a Terra”, no dizer de  Jesus. Então, ou você evolui, meu amigo, ou você evolui.

Esse encontro, com ANA GUIMARÃES,  deu-se em um dos grandiosos MIEP (Encontro de Jovens Espíritas da Paraíba), de Campina Grande, e isso nos tempo dos dinossauros. Brincadeirinha!

Mas o fato é que descobri, na biblioteca do mundo contemporâneo, a Internet, palestras muito bem elaboradas e conscientes de ANETE GUIMARÃES, filha desses dois grandes trabalhadores Espíritas, ANA E GERALDO Guimarães. Acesse aí, você vai se emocionar. Acho que descobri "tarde", mas descobri a tempo. “Há tempo para tudo debaixo do céu”. E agora vou aproveitá-las no programa Música e Mensagem, da Rádio Boa Nova FM, de Itaporanga, todas as sextas.

Acostume a ligar o seu rádio todos os dias às 17 horas, pois esse é o Circuito Espírita de Rádio, como disse a nossa querida irmã Paulinha, uma dos âncoras do PAPO JOVEM ESPÍRITA, que vai ao ar domingos e segundas, no mesmo horário. Podes ouvir pelo computador, também. É a Rádio Boa Nova para o mundo.

Alías, um amigo radialista, comentou, que a voz de Paulinha é como a de ANA GUIMARÃES, dulcificada. Deve ser por isso, também, que VANDEILTON  se apaixonou  por ela e a junção dessas duas forças estão encaminhando a nossa juventude espírita de Itaporanga. Isso, na verdade, foi “pegadinha de Deus”, mas só que nesse caso, pegadinha séria. São almas que se reencontraram. Tirando o chiado, que os pernambucanos usam, tudo bem.

Eu constatei que, realmente, a tese de que filho de peixe, peixinho é, pode ser verdadeira. E nesse caso funcionou, pois a nossa irmã nos esclarece “pacas” sobre as grandes questões da vida, detalhando com coerência as verdades, que se encontram por trás dos princípios espíritas, e que nós só podemos “espiar”, quando maturamos pela observação. Anete recebeu informação genética da mãe e do pai e informações espirituais, dessa Doutrina de Jesus que esclarece, ilumina e nos impulsiona ao trabalho, pois a “fé sem obras é morta”.

A mulher fala como ninguém e fala bem

Infelizmente, ainda, há muitos blás, blás, blás, no meio religioso e pouca vivência de fato. É muita oração, histerismos, zoada e pouca realização, de verdade. A busca de Deus é, quase sempre, para satisfazer as nossas pretensões egoicas. Acho que Deus deve estar cansado de tanta, oba, oba. A mensagem foi substituída pelas formas exteriores.

Mas nós aprendemos, com a Doutrina Espírita, que possuímos além desse corpo físico, denso, material, outro espiritual, sutil, e interligado ao espírito. Com ele nós nos apresentamos no mundo espiritual e é com ele que damos “visibilidade” à nossa personalidade. Quando o médium vê o espírito, em realidade está vendo o corpo do espírito, pois o de carne voltou à sua origem e se transformou em alimento para os nossos irmãos vermes. Os espíritos apelidaram esse corpo espiritual de PERISPÍRITO. Paulo, o apóstolo, o chamou de “corpo espiritual” e por aí vai.

O fato é que um influencia o outro e quando estamos no corpo, experienciando, vivendo, evoluindo, estamos sujeitos ás suas necessidades biológicas. Os instintos, nesse momento, falam mais alto e vamos à cata, apenas, de satisfazer os seus apelos. É preciso preparo para não se deixar levar pelos convites da dimensão material, da busca exagerada pelos valores materiais, que ficam.

O espírito precisa comandar o corpo e o corpo não pode viver sem a ação do espírito, se não, meu amigo, você se enrola e perde a encarnação. Há muitas pessoas preparadas, que estão no mundo espiritual, e que têm um medo danado de voltar à Terra. Se não for maior que a “carne” vai se dar mal e ter que recomeçar. Mas, não podemos recomeçar sempre, pois isso é negligência e atraso. É preciso caminhar sem parar, mesmo que devagar, até atingir o fim, que está bastante longe de ser alcançado.

A Doutrina espírita é uma das grandes filosofias que nos ajudam a eleger o melhor para as nossas vidas. Mas também é ciência e religião, que não é concebida no sentido tradicional do termo.

“Coitado! Ainda hoje a morte vem lhe visitará”. (Jesus)

Parabéns a Anete Guimarães e que Deus possa intuir essa família espírita a nos ensinar a como viver.

Muitos existem, mas poucos sabem o que é viver.

PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA MESMO!









sexta-feira, 8 de junho de 2012

Começa no domingo temporada de formalização das ‘candidaturas’ a prefeito, a vice e a vereador


Eles já estão por aí. Invadem a periferia. Abraçam velhinhos. Beijam criancinhas remelentas. Sorvem cafezinho de padaria. Comem pastel de feira. Roem a legislação. Por uma nesga de refletor, eles fazem e acontecem. Porém, ainda não passam de meros pré-candidatos. Só nos próximos 20 dias, virarão candidatos formais.
Começa neste domingo (10) a temporada das convenções. Assim são chamadas as reuniões convocadas pelos partidos para aprovar as coligações e referendar os nomes dos candidatos a prefeito, a vice-prefeito e a vereador que disputarão a preferência dos mais de 136 milhões de eleitores nos 5.564 municípios brasileiros. Pela lei, todos os candidatos terão passar por esse funil até 30 de junho.
Nos dias que antecedem as convenções, os postulantes podem fazer propaganda. Mas a lei eleitoral impõe fronteiras estritas. As faixas e cartazes só podem ser colados em ambientes partidários ou em locais próximos ao endereço da convenção. Nada de outdoors. Rádio e tevê, nem pensar. Mais: concluído o processo, o material promocional tem de ser arrancado.
Depois de passar pela pia batismal das convenções, já libertos do prefixo, os candidatos ganham certos direitos e alguns deveres. Alvejados por ataques tidos por caluniosos, difamatórios, injuriosos ou simplesmente inverídicos, podem requerer à Justiça Eleitoral direito de resposta nos meios de comunicação que difundiram o veneno. A regra vale para os candidatos e também para os partidos e suas coligações.
No rol dos deveres, candidatos que disponham de programas em emissoras de rádio e de tevê terão de se afastar tão logo seus nomes sejam referendados em convenção.
De resto, a oficialização das candidaturas impõe às legendas e coligações a definição do limite de gastos ao longo da campanha. As cifras terão de ser informadas à Justiça Eleitoral junto com o pedido de registro dos candidatos. O resto é com o eleitor. Se você ainda não acordou, convém abrir os olhos. O calendário lhe oferece uma nova oportunidade para refletir o tipo de cidade que deseja.

Itaporanga sediou encontro que debateu a implantação do plano estadual de cultura

Encontro ocorreu no último dia 6 e serviu como planejamento para as ações culturais do poder público estadual e nacional


Por Redação da Folha

Com representantes do Ministério da Cultura e da Secretaria de Cultura do Estado, foi realizado na quarta-feira, 6, na sede da 7ª Gerência Regional de Educação e Cultura, com sede em Itaporanga, uma reunião de planejamento de ações para a implantação do sistema nacional e plano estadual de cultura, que vão nortear todas as ações culturais da Paraíba e de todo o país.

O encontro contou com a presença do articulador cultural Jucivan Araújo, representantes de algumas entidades culturais da cidade e também representações de Prefeituras do Vale.

O Encontro Regional de Planejamento de Cultura, assim denominado, é uma iniciativa do Programa de Fortalecimento Institucional para a Implantação de Sistemas de Cultura.

Conforme Jucivan, em contato com a Folha (www.folhadovali.com.br), até a implantação final do Plano Estadual de Cultura mais três etapas acontecerão: análise situacional da realidade do setor cultural, prognóstico para o futuro do setor cultural e sistema de monitoramento e avaliação do plano estadual de cultura.  

Foto: encontro contou com representantes da cultura estadual e nacional.

quinta-feira, 7 de junho de 2012

O "HD" DO ESPÍRITO

O “HD” do Espírito
(Reynollds Augusto)

Eu não sou muito habilitado para “mexer” com esses negócios de informática, mas nessa área as possibilidades são grandes. Há, até, probabilidade de se resgatar, do disco rígido as informações lá depositadas que apagamos. Estão guardadas na memória daquele “bicho”.

É Por isso que você deve ter cuidado de como usa o computador. Nada se perde e se apaga. É por isso, também, que vez por outra os agentes federais, encontram provas guardadas, lá no fundo, no porão daquele “negócio e que estavam aparentemente apagadas, mas que servirão de provas contra você.

O computador também faz regressão de memória. Pode?!

O bom mesmo é sempre fazer o que é certo e viver com base nos princípios morais do cristo. Essa vivência nos trará equilíbrio e felicidade.

Besteira pensar que você apagou. Pode-se resgatar.

Outro dia, sem querer,querendo, apaguei algumas informações importantes e estava meio macambúzio por isso. Não é que o meu irmão, VANDERLEI EGÍDIO, que conhece o “bicho” como ninguém, não sei como, fez o computador voltar no tempo, à configuração anterior e conseguiu resgatar o que queria. Parecia mágica dos dias atuais. Minha informação foi localizada, “novinha em folha”. Milagre informático.

Esse processo acontece parecido com as nossas vidas. Nada se perde e tudo pode ser acionado, quando conveniente e necessário. Os nossos registros, da vida imortal, estão guardados lá no fundo, apesar de não estarem, quase sempre, à tona, na “objetividade”.

O perispírito, que é o corpo energético do espírito, parecido com este nosso, registra tudo e nada passa despercebida de sua vigilância interna. É o nosso “HD” e lá, também, nada se perde, como disse o cientista.

Os nossos registros podem vir á tona, quando é preciso. É por isso que você pode enganar e fugir de todos, menos de sua consciência, pois lá estão guardadas as leis de Deus e para onde você for, meu amigo, o registro se encontra depositado.

Tem gente pesando que Deus vive como um juiz, apontando o dedo para cada um dos seus filhos para punir ou não. Isso é negócio de criança. Tudo está registrado em nós e quanto retornamos para lá, não adianta mentir, enganar, vamos para o nosso lugar. Até rimou.

Os espíritos bons dizem que uma comunidade que está passando por muitas dificuldades, no mundo espiritual, é a dos religiosos. Tem muito religioso hipócrita e que não entendeu a proposta de Jesus. Tem uns até que transformaram a mensagem santa do Mestre, em moeda de troca para se darem bem. E como somos, ainda, atrasados, entramos nessa.

“Haverá falsos profetas que enganarão até os escolhidos”

Será?

O que você é, o que você fez, como se comporta, vai contigo para todo lugar. Quando “morremos”, ficamos desnudos e não adianta fingir, pois no mundo espiritual teremos o que merecemos e seremos direcionados a lugares que dizem respeito á nossa condição evolutiva e tudo isso vai servir de prova para que você prepare a sua outra existência, com base naquela proposta de resgate, ensinada por Jesus:

“Não sairás daí, enquanto não pagares o último ceitil”.

Isso se chama progresso, evolução, oportunidade. Nada de castigo divino.

É recomeço, pois “nenhuma só das ovelhas do meu pai se perderá”

PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA MESMO

quarta-feira, 6 de junho de 2012

EJEP É VIDA

NÃO DEIXE DE IR AO EJEP
(Reynollds Augusto)


Uma das experiências que me ajudou a compreender com mais propriedade a Doutrina Espírita, foi a participação dos ENCONTROS DE JOVENS ESPÍRITAS DO ESTADO DA PARAÍBA.

O  MIEP de 2001, realizado em um Colégio de Campina Grande, se não me engano, NEZINHA CUNHA LIMA e com a participação do grande NANDO CORDEL, foi marcante para a minha vida. O tema era “Proposta de Educação Integral”.

Um EJEP, que não me esqueço, foi o realizado em SAPÉ, a terra do abacaxi, à época.  PENSE NUM “PONCHE” gostoso.  “Ponches”, como aqueles, só a minha saudosa avozinha fazia. O evento foi realizado na cidade cristã, dirigido, á época, pelo confrade MELCIADES.

Eu sempre estimulei minhas filhas a participar desses eventos de luz, pois implica diversão sadia, reforço de amizades e reflexão para bem viver, com base em propostas de vida,  que realmente nos estimula a produzir para o bem e a viver bem, em um mundo de apelos consumistas e de ilusões sofredoras.

É uma oportunidade de nos tornarmos verdadeiros espíritas, compromissados. Sim, pois há irmãos que são espíritas "de clube" e faz da casa, apenas, momento de lazer, mas ainda não despertaram para doar de si mesmo para o bem em geral.  Mas o fato de estarem em contato com essa proposta de vida, “renovada”, mas vinculada aos princípios trazidos por Jesus, já é um grande recomeço. E há tempo para tudo, apesar de ele não existir. (?)

É um investimento da alma. E toda taxa, por maior que seja, não paga a experiência que fica pelo restinho da vida física e permanece à nossa imortalidade. Depois desses encontros me tornei espírita compromissado. Está no meu "DNA" a necessidade de produzir para o bem, para Jesus, para a causa. Apesar da montanha de imperfeição que carrego e dos esforços que faço para diminuir, como diz meu irmão ERNANI DINIZ, a minha ruindade. Perder o tempo, que “escorre pelas mãos”, é uma grande bobagem.

Na época tinha um contato perene com os amigos da Federação Espírita Paraibana, a exemplo do nosso atual presidente, MARCO LIMA e a sua simpática esposa; o grande, “pequeno”, NACO e sua hoje, esposa,  e tantos outros.

Alías grandes almas se encontraram naquele momento. Era a pegadinha da vida para ajuntar corações. São espíritos que estão registrados no meu mundo íntimo, mas esqueci o nome de alguns, pela força do tempo, que devora tudo que é físico.

Lembro- me de LUCINHA, inesquecível. Tínhamos perdido o contado, mas hoje foi restabelecido, com a ajuda da rede mundial de computadores. Atualmente, não há como nos perder.Ela na Europa e eu no Brasil, o melhor país do mundo. 

Quem não se liga na internet está fora do mundo. Estou feliz por ela estar bem. É uma irmã que está guardada no meu coração. 

Sérgio e JÔ,  namoravam na época;

VALTER, recitava cada poema !

Lembro-me de VERINHA e seu irmão, que esqueci o nome, mas não me esqueço da sua cabeleira. Parecia um desses da “jovem guarda”, ambos filhos da MARIA PIRES  que possuía uma mediunidade aflorada.

ITAGIBA, que sempre tive um carinho especial. Trocávamos correspondências em uma época sem computadores e a mesma caprichava nas letras e mensagens, ao ponto do carteiro ficar maravilhados com essas mensagens espirituais, que estavam postas nos envelopes.

Ele sempre vinha com um sorriso do rosto a entregar as correspondências e eu já sabia, de longe, que a carta era a  de Itagiba. Garota  dos olhos lindos e da voz rouca que ao cantar, no Coral da FEP, parecia que um anjo havia descido do céu. Com ela perdi o contato e nunca mais a vi no grupo. Talvez a vida a tenha a  empurrado para outras paragens.

CESAR, o mago da técnica.  Era o cara dos bastidores e do som e o espetáculo só era espetáculo porque ele estava ali, junto, espreitando para que tudo desse certo

Bons momentos.

É a vida em movimento.

Não deixe de ir ao EJEP, este ano, em Campina Grande.

Mas antes, EM JULHO, tem o SERTÃO JOVEM, aqui em ITAPORANGA.

Será mais um capítulo de sua vida, no livro da imortalidade.


PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA MESMO.

www.reynollds.blogspot.com

terça-feira, 5 de junho de 2012

"Em Cima da Pinta"

Misericórdia de Ontem, Itaporanga de Hoje V

Em Cima da Pinta
( Reynollds Augusto)

Somos todos viajantes do tempo e te digo, com certeza, que essa viagem passa rápido.  Não se engane pois  o tempo físico é uma grande ilusão, e já, já, todos nós seremos história. É por isso que a história deve ser preservada para servir de esteio para os filhos do futuro. Nossa Itaporanga de guerra possui muitos “memoristas” e agora temos instrumentos de registros, gratuitos, com as maravilhas da tecnologia, como a internet.  Não há distancia que impeça de se colocar para fora um momento, uma vida. Está lançado o desafio.

A informação está realmente democratizada e a boa informação precisa realmente vir a lume. Não podemos deixar que os desavisados, sem compromissos, alimentem esses novos tempos com bobagens, besteiras, imaturidade e tudo mais.

Quando a luz surge, por menor que seja, ela espanta a escuridão. E todos nós, precisamos fazer luz, para que as boas idéias, lembranças, experiências de vida, sirvam de estímulos às buscas de cada um.

Hoje eu tive a grata satisfação de conversar com Nilton Mendes, meu irmão de ideal maçon, e fiquei encantado com os fragmentos de um tempo, que se foi, mas que estão registrados em sua mente fértil. São histórias interessantes, jocosas, que retratam períodos que partiram e que como os nossos, foram vividos intensamente e que, agora, na realidade relativa, ficou para trás.

Muitas figuras ilustres, cujos corpos estão depositados, hoje, no “Museu a Céu Aberto” da nossa “terrinha” e que é o nosso destino indiscutível: o velho cemitério guarda experiências, sonhos, e quando visito esse espaço realizo uma viagem no tempo, em que irmãos nossos viveram plenamente um fragmento de vida, que associado a outros fragmentos, construíram a história de Itaporanga.   

Já notou como o cemitério cresce? É a vida em movimento. São os momentos ficando para trás e o tempo devorando tudo, para libertar o espírito imortal rumo à evolução.

Hoje precisei dar um passadinha no nosso “museu”. O meu amigo coveiro me disse que precisava fazer uns ajustes necessários no túmulo do meu saudoso avô ANTÔNIO AUGUSTO DE CARVALHO. Lá estão depositados os corpos de três jóias raras, da minha vida: ANTÔNIO AUGUSTO DE CARVALHO, MARIA PERPÉTUA LEITE (avós) e o meu pai ADEMAR AUGUSTO DE CARVALHO.  Todos no mundo espiritual,  a nossa verdadeira vida, sem enganos.

A visita me estimulou a passear no “museu” e ali, bem pertinho, me aproximei do túmulo de Crispim Pessoa, esposo da minha Tia Avó BIDU, cujo sentimento que tenho por ela não perde para nenhum dos meus familiares.

Ouço a voz de Crispim. O homem da voz grave e penetrante. Como uma lembrança puxa a outra, me lembrei que o meu avo e também “Pai", ANTÔNIO AUGUSTO DE CARVALHO”, que tinha o hábito de não se separar do seu radinho de pilha, vermelho, para se inteirar nas coisas que aconteciam no mundo, nessa vida que é um movimento rumo à plenitude.

Nossa meta é evoluir e para isso temos que desenvolver duas asas: AMOR E CONHECIMENTO. Sem elas você não se liberta dos enganos, das más escolhas, das ilusões, de você mesmo, que é o seu maior inimigo. Nada de satanás ou força exterior que nos imponha o cometimento de erros. Eles são por nossa conta. É claro que temos pensamentos sugeridos por espíritos atrasados, daí Jesus ter nos dado uma dica “... vigiai para não cairdes em tentação”. Mas , quando você é espiritualizado e segue os preceitos de Jesus, por exemplo, dificilmente você vai cair. Seja o teu falar e o teu agir “Sim, Sim; Não, Não”. Simples, não?

Pois bem, estou aqui a ouvir o radinho de pilha vermelho do meu avô ligado em baixo de sua velha rede. Estou ouvindo o Crispim Pessoa, animando as manhas de Velha Itaporanga. Mandando recados, avisos, aos moradores dos sítios. Se não me engano a Rádio se chamava CRUZEIRO DO SUL, e as suas ondas viajavam longe. Era a animação de Itaporanga, em um tempo carente de tudo. Ouço no radio uma velha música, clássica, de um cantor que, se não me engano, Teixeirinha, a cantar o seu drama pessoal pela morte de sua mãe, queimada. Um poema, um desabafo, uma reflexão, para aqueles que têm mãe e não sabem reconhecer o seu valor.

O maior golpe do mundo, que eu tive em minha vida/ Foi quando com nove anos, perdi minha mãe querida/ Morreu queimada no fogo/ morte triste e dolorida...”

São sete horas da manhã....EM CIMA DA PINTA.

O chavão é conhecido, dos filhos do passado.

PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA MESMO

MP de Dilma Rousseff sobre Código Florestal recebeu no Congresso mais de 620 emendas


Sabia-se desde a semana passada que a medida provisória editada por Dilma Rousseff sobre o Código Florestal desagradara parte do Congresso. Na noite passada, ficou-se sabendo o tamanho da insatisfação. Deputados e senadores apresentaram mais de 620 emendas ao texto da MP.
O prazo para a entrega das emendas encerrou-se às 20h30 desta terça (4), a três horas e meia do início do Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado nesta quarta (5). O calhamaço vai às mãos do senador Luiz Henrique (PMDB-SC), relator da comissão especial incumbida de analisar a MP de Dilma.
A comissão realiza sua primeira reunião na tarde de hoje. O encontro marca o início do terceiro capítulo de uma novela que já rendeu duas derrotas legislativas ao governo. Luiz Henrique será confirmado na função de relator. Caberá a ele destrinchar as emendas.
O senador tem pressa. Deseja apresentar seu relatório já na semana que vem. Tenta costurar um acordo que contente a bancada ruralista da Câmara sem desvirtuar o Código. Busca um meio termo que não se pareça com uma terceira derrota de Dilma.
Luiz Henrique já havia relatado a penúltima versão do Código Florestal. Em parceria com o colega Jorge Viana (PT-AC), produzira um texto que virara do avesso o projeto original, originário da Câmara. Devolvida aos deputados, a proposta foi reescrita feita com a caligrafia da agrobancada.
Refeito, o Código Florestal foi à mesa de Dilma, que impôs 12 vetos ao texto. Foi para preencher as clareiras abertas pelas supressões de artigos que a presidente baixou a medida provisória. O trabalho do senador Luiz Henrique será revisado por um deputado. O nome do revisor ainda não é conhecido. Porém…
Líder do PMDB na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN) disse ao blog que pretende indicar para o posto de revisor o colega Paulo Piau (PMDB-MG) –o mesmo deputado que atuou como relator da proposta que deixara Dilma tiririca. Quer dizer: ou chega-se a um acordo ou o Planalto pode amargar um novo infortúnio.
Depois de aprovada na comissão especial, a medida provisória será votada no plenário da Câmara. Dali, seguirá para o Senado. Se for modificado pelos senadores, o texto retornará à Câmara. Ou seja: prevalecendo o dissenso, os deputados terão a prerrogativa de dar a última palavra sobre a matéria.
Henrique Alves confia no acordo. Escora seu otimismo no fato de Dilma não ter vetado a integralidade do projeto da Câmara, como queriam os ambientalistas. Acha que a combinação de vetos parciais com a MP corretiva abriu uma janela para a negociação. “Restaram poucas divergências”, diz ele.
A despeito da multiplicdade de interesses que se esconde sob a selva das mais de seis centenas de emendas, são três as principais demandas dos deputados identificados com o agronegócio. Deseja-se, primeiramente, arrancar do texto o artigo que fixa os “princípios” do novo Código Florestal.
Para a bancada rural, esses princípios, supostamente “vagos”, abre espaço para que promotores, procuradores da República e juízes interpretem a lei de forma subjetiva. Algo que submeteria os produtores rurais a uma atmosfera de “insegurança jurídica.”
Noutro ponto, os agrocongressistas querem atenuar as regras impostas aos donos de propriedades rurais de médio porte na recomposição da vegetação desmatada nas margens de rios. Dilma deu tratamento diferenciado aos pequenos produtores. Mas os ruralistas se queixam de que faltou diferenciar os médios dos grandes.
De resto, a representação ruralista da Câmara quer repassar para o Estado o custo do replantio das matas degradadas nas beiras dos rios. Numa das emendas, sugere-se a concessão de incentivos fiscais que estimulem o replantio.
Noutra, propõe-se que o dinheiro das multas e das taxas de licenciamento sejam utilizados para subsidiar pequenos e médios produtores. O ministério do Meio Ambiente, torce o nariz para ambas as fórmulas. Considerando-se o risco de um novo tropeço, o Planalto talvez seja levado a concluir que o meio termo pode evitar uma derrota inteira.

domingo, 3 de junho de 2012

Conselheiro Tutelar de Boa Ventura Fala Sobre Drogas, no Cesb, daquela cidade

Conselheiro Tutelar de Boa Ventura Fala aos Adolescente e Crianças do Cesb

O Centro Espírita Seareiros do Bem, da cidade de Boa Ventura, vez por outra recebe a visita de um  agente público para ensinar a garotada os valores morais e mostrar como os mesmos devem  se conduzir na vida. A parceria é realizada com policiais, assistente sociais e tudo mais.

Em outras oportunidades quem  esteve realizando palestra no Cesb foi o Sargento Nildo, que esclareceu muito aos adolescentes sobre o papel social de cada cidadão à promoção de  uma sociedade equilibrada. 

Desta feita, quem esteve na Casa Espírita, para falar sobre o tema drogas, com as crianças e os adolescentes,  foi  o  CONSELHEIRO TUTELAR CID ALVES.

CID , preparou um trabalho de apoio muito realista e ensinou aos assistidos, da Casa de Jesus, que os apelos do mundo, para esse tipo de comportamento,  são enormes, sendo imperioso que o jovem se prepare psicologicamente para dizer NÃO a esse chamamento primeiro.


Muitas vezes esse momento é o divisor de uma vida equilibrada  e a certeza de que se terá uma existência digna , pois o uso das drogas mata tudo. Mata sonhos, projetos, desempenho e leva, com certeza a vida física , mais cedo ou mais tarde e as perquisas indicam que hoje, está acontecendo mais cedo.



 O Centro Espírita Seareiros do Bem agradeceu  esse  Agente Público e irmão EVANGÉLICO, que em seu recanto trabalha, também, com o cristo para construção de uma vida mais feliz


( Departamento de Divlgação do Cesb)

Política paraibana envenena relações do PT com Vital do Rêgo, o presidente da CPI do Cachoeira


O senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) recebe do PT um tratamento contraditório. Em Brasília, é adulado. Na Paraíba, é maltratado. A dicotomia começa a interferir na condução dos trabalhos da CPI do Cachoeira, presidida por Vital.
Veneziano Vital do Rêgo, irmão do senador, é prefeito de Campina Grande, um dos mais importantes municípios paraibanos. No exercício de seu segundo mandato, governou a cidade por oito anos com o apoio do PT.
Impedido pela lei de concorrer à prefeitura novamente em 2012, Veneziano aparelha-se para disputar o governo da Paraíba em 2014. Seu primeiro desafio é manter Campina Grande sob o controle de mãos amigas.
Com o apoio de Vital, Veneziano lançou a candidatura de sua secretária de Saúde, Tatiana Medeiros. Dava-se de barato que o PT se associaria ao projeto. Para desassossego dos irmãos, o petismo paraibano roeu a corda.
Em vez de apoiar Tatiana, o PT ensaia em Campina Grande uma coligação com a deputada estadual Daniela Ribeiro, candidata do PP. Vem a ser irmã do ministro das Cidades de Dilma Rousseff, Aguinaldo Ribeiro.
Os irmãos Vital não se conformam com o abandono do PT. O prefeito queixa-se de traição. O senador esforça-se para deter os silvérios. Já levou o assunto a Lula e à ministra petê Ideli Salvatti, coordenadora política do Planalto. E nada.
Na última quarta-feira (30), Vital do Rêgo adotou na CPI um comportamento que fez acender a luz amarela no painel de controle do PT federal. Numa sessão politicamente radioativa, o senador retirou-se da presidência.
No instante em que iriam a voto os requerimentos de convocação dos governadores Marconi Perillo (GO), Agnelo Queiroz (DF) e Sérgio Cabral (RJ), Vital entregou o comando da sessão a Paulo Teixeira (PT-SP), vice-presidente da CPI. E sumiu.
Em combinação com o relator Odair Cunha (MG), petista como ele, Teixeira tentou executar uma manobra. Sugeriu que fosse votado um pedido de “sobrestamento” da convocatória dos governadores.
Ouviram-se protestos generalizados. Inquieto, Onyx Lorenzoni (DEM-RS) foi ao microfone: “Onde está o senador Vital do Rêgo?” Perguntou uma, duas, três vezes. E nada de Vital. Puxa daqui, estica dali Teixeira desistiu da manobra protelatória.
Votados os requerimentos, aprovaram-se duas convocações: a do tucano Perillo e, para desassossego do PT, também a do petista Agnelo. Só o pemedebê Cabral foi poupado.
Vital retornou à CPI no instante em que Teixeira recolhia os votos para a convocação de Agnelo. Chamado a votar, o senador disse “sim”. Por um instante, houve surpresa, espanto, estupefação. E Vital apressou-se em corrigir o voto: “Não”. Ah, bom!
Mas, afinal, onde estava Vital do Rêgo? A sessão foi encerrada sem que Onyx Lorenzoni obtivesse uma resposta. Um pedaço do petismo suspeita que o presidente da CPI estava mergulhado em seus rancores. Ruminava os dissabores da Paraíba enquanto Agnelo era afogado na CPI.
Na sexta (1o), Vital foi ao estaleiro. Submeteu-se a um cateterismo no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Um boletim médico informou que as veias do coração do senador encontram-se “dentro da normalidade”. Receitou-se ao presidente da CPI um descanso de cinco dias. No sábado (2), Vital voou para Campina Grande. Foi repousar na cidade em que o PT o maltrata.