sexta-feira, 16 de março de 2012

A DOR,SOFRIMENTO E O AMOR

A DOR, SOFRIMENTO E AMOR.
(Reynollds Augusto)
 Todas as quintas um grupo de amigos se reúne no Centro Espírita Jesus de Nazareth para tratar de temas doutrinários, que diz respeito a teses espíritas, que são as teses do “alto, como diz o nosso amigo espiritual o “Um Amigo Poeta”, um dos dirigentes do Centro Espírita Jesus de Nazaré, da cidade de Catingueira. Apelidamos o encontro de ESLE- Educação dos sentimentos com o Livro dos Espíritos. Evangelho e filosofia juntos, a nos ensinar as maravilhas de Deus.
A turma sempre propõe os temas e o de quinta passada foi um sugerido por nossa irmã Cláudia. A discussão girou em cima da música de Guilherme Arantes, “Meu Mundo e Nada Mais”.
 A fórmula é simples. Saímos a cata de músicas “popular brasileira”, que têm aquela energia e emoção da saudade, associada a  coerência de  informações nobres e  que nos faz respirar profundamente, sentindo um mundo diferente e que nos aproxima da verdadeira felicidade.
Eu sempre disse que os grandes compositores são verdadeiros médiuns ostensivos, que captam informações espirituais para preparar a humanidade, ou pelo menos para fazê-la refletir, em torno das questões maiores. Essa música do grande Guilherme Arantes tem muito a nos ensinar. “Meu Mundo e Nada Mais”. E de quebra ainda trabalhamos o texto “Causa das aflições”.
 Como vai o seu mundo? 
Dependendo da resposta, ela vai dizer em que estado você se encontra e essa é a proposta de DEUS para as nossas vidas: conhecer o nosso mundo íntimo. Conhecer a si mesmo para realizar aquela viagem interior no país do desconhecido, que somos todos nós.  O ‘negócio” não é muito fácil, mas é fundamental.
Lembra-se do sábio da antiguidade, um dos precursores da ideia espírita: “conhece-te a ti mesmo”? E do sábio dos sábios, Jesus de Nazaré, “conhecereis a verdade e ela vos libertará”.
- Mas libertar de que?
- Do nosso inimigo? Do “Coisa ruim”?
-  Que nada!  De nós mesmos. Com o nosso orgulho e egoísmo que são as duas grandes chagas da humanidade, segundo os imortais. 
O Satanás nada mais é do que uma transferência psicológica. Como não somos bastante humildes para admitir os nossos enganos, nós colocamos a culpa em alguém. E esse foi o Satanás, uma figura tão mitológica, quanto o Saci Pererê. Mas tem gente que acerta com medo dele. Já é um bom começo.
 E a dor hem?  Quem já não se deparou com essa grande mestra da vida? Em um planeta de “provas e expiação”, que é a Terra, ela é uma daquelas professoras exigentes, que ensina sem se cansar. Quando pega um aluno negligente, ministra com mais propriedade os seus conteúdos e ajuda abrandar o nosso orgulho, ensinando a localizar o mundo interior de cada qual, que muitas vezes se encontra “fora da órbita de Deus”.
Mas vamos aos tipos de dores na visão do grande espírito ANDRÉ LUIZ. Esse já passou cada uma!
Dor – expiação: A maioria de nós passou por ela. É uma espécie de dor que trazemos em nossos registros pessoais. É a dor que nos ajuda a regenerar perante a justiça de Deus. É o pagamento do último ceitil que Jesus falou, para nos permitir o equilíbrio para com nós mesmos e as leis de Deus. Dela ninguém foge. É o resultado de uma ação do passado. É a vida pedindo conta.  E a jurisdição divina fazendo atuar o Direito de Deus, que na academia tratam como Direito Natural. A maioria de nós, do planeta Terra, somos esclarecidos por essa mestra.
 Dor- Evolução: Sabe aquelas doenças que “surgem do nada”? São elas. Elas nos levam à reflexão e nos ensinam a mudar de direção. Quem passou por uma experiência dessas foi o ator Reynaldo Gianecchini. O homem está respirando sensibilidade e agora está mais maduro. Ela também pode vir do remorso, arrependimento e tudo mais. A dor-evolução também pode está nos meios hostis e geralmente essa dor nos fortalece à vida.
Dor –auxílio : Segundo o texto discutido na noite de quinta, a dor auxílio pode ser considerada as prolongadas e dolorosas enfermidades do nosso corpo.  E tudo isso para que possamos nos recuperar de certos enganos. Ela nos faz refletir  sobre a vida nos disciplinando, para impedir os cometimentos de novos equívocos. Essas dores nos impedem de fazer muitas bobagens, evitando maiores comprometimento. Enfarte, trombose, senilidade antecipada e muitas outras formas, podem ser consideradas “dores auxílio”.
 - Mas será possível viver em um ambiente onde não haja dor?
Não no mundo de provas e expiação, que é o nosso.
Quando não possuímos dores físicas, temos as dores morais e essa fere profundamente a alma. Mas já foi pior e estamos evoluindo para um mundo melhor e cada vez aprenderemos com menos dor, porque despertaremos pelo amor, que é o resumo da mensagem do cristo.
Um dia seremos “Família Universal”
PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA. 

quarta-feira, 14 de março de 2012

A importância do Autoconhecimento


A importância do autoconhecimento

O contexto socioeconômico, político e religioso no qual nos inserimos requer de cada um de nós, uma postura que possa demonstrar certos indícios de maturidade; haja vista que em todas as etapas da nossa escalada evolutiva, Deus na sua infinita generosidade, vem enviando ao nosso orbe, criaturas que já atingiram uma consciência suficientemente amadurecida.   

Esses seres cônscios e iluminados, de forma um tanto despretensiosa, continuam insistindo em nos despertar para os autênticos valores da vida, destacando-se a plena convicção da imortalidade da alma e a importância da prática da caridade e do perdão, ressaltando-se que muitos deles, realizaram tais conquistas n’outras paragens e em eras bastantes remotas...

Seria inadmissível que numa única existência, o homem conseguisse angariar todos os conhecimentos necessários para interagir satisfatoriamente com os seus semelhantes, ao mesmo tempo em que despertasse para os valores morais e ou espirituais.   

Daí, a importância do conhecimento da Lei das vidas sucessivas e dos ensinamentos transmitidos por todos esses grandes baluartes, independentemente das religiões que adotaram, até porque somos conscientes de que cada ensinamento deverá ser adequado à época em que deverá acorrer, para que possa de fato, atingir o seu objetivo e surtir efeito positivo.     

Sócrates, o grande filósofo grego (469 a.C a 399 a.C), destacava a importância do conhecer-se a si mesmo e Santo Agostinho, outra criatura iluminada e que se dedicou aos debilitados do corpo e da alma, também fez menção a tal ensinamento, na questão 919 de O Livro dos Espíritos, codificado pelo emérito educador francês Hippolyte Leon Denizard Rivail, cujo pseudônimo é Allan Kardec.


Colaborador: Manoel Ferreira Gomes (membro do Centro Espírita Seareiros do Bem da cidade de Boa Ventura-PB).

terça-feira, 13 de março de 2012

Rencarnação I

REENCARNAÇÃO I

Tende muita dificuldade
Para entender o passado
Porque tantas desigualdades
Se de um pai, somos gerados?


Há um que semeia a paz
O outro destila venenos
Há um que veio com mais
E outro que veio com menos

Um é tido como gênio
O outro é inconsciente
Respiram o mesmo oxigênio
Porque são tão diferentes?

Há um que a luz conquista
Há outro que nasce cego
Outro irmão é egoísta
E só pensa no seu ego.

Há um que é generoso
Que dá valor ao ser
Mas o outro é orgulhoso
E só pensa no seu ter.

Há um que vem preparado
Aprendeu na outra vida
O outro vem perturbado
Com idéia suicida.

Há um que é paciente
De meiguice angelical
Há um outro delinqüente
Desviado para o mal.

Essa vida é uma batalha
Para tua alma imortal
Procure erguer a muralha
Que separa o bem do mal.

A alma na Terra fere
E na Terra ela é ferida
É assim que Deus prefere
Que pagues, na outra vida.

segunda-feira, 12 de março de 2012

Rompimento político em Boa Ventura


Aquece ainda mais a disputa política para o pleito 2012 em Boa Ventura, já considerado o mais quente da história. 
Depois de várias declarações de parceria envolvendo o empresário Van Ângelo e o ex-prefeito Fábio Arruda para as eleições deste ano, ocorreu no último fim de semana uma situação inesperada, por questões políticas e de desacordos, houve o rompimento entre ambos. Van, que lidera o PT do B local e tem em seu grupo lideranças como o vereador João Oliveira, Otacílio Madalena, Galego de Salomé entre outros, declararam que estão independentes e a disposição para novos acordos, visando êxito nas eleições municipais deste ano.

Van declarou ainda que, o rompimento político não abala sua trajetória nem seu desejo de trabalhar e continuar contribuindo em prol de seu povo, visto que já há algum tempo vem se dedicando dia a dia de forma incansável para melhorar a realidade de sua cidade natal.

Ele, que administra uma escolinha de futebol em Campina Grande junto com seu cunhado, o jogador Hulk, revela estar ainda mais empenhado na disputa e que seu grupo continua unido. “Se for para o bem de minha terra e o melhor para o grupo, estarei aberto para novos desafios”. Conclui Van Ângelo.

BoaVenturaPB.com.br