sábado, 7 de janeiro de 2012

Como Fazer?

Como fazer?
(Reynollds Augusto)


Não é novidade para ninguém que o Centro Espírita Jesus de Nazareth tem um programa radiofônico, todos os dias, pelas 17h00 horas na Radio Boa Nova FM, a rádio do bem.

De segunda à sexta, nesse horário, nós convidamos a comunidade itaporanguense a entender as razões da vida pelo prisma da Doutrina Espírita, que é Jesus de volta. Às quartas-feiras vai ao ar o programa O CONSOLADOR, apresentando por Herculano Pereira, e que traz entrevistas enriquecedoras com a apresentadora Yasmim Madeira, do programa Despertar Espírita, sendo que, nos outros dias, vai ao ar o MUSICA E MENSAGEM, conduzido por Reynollds Augusto. Sempre às 17 horas.

Há um projeto da Juventude Espírita de Itaporanga gravar aos Domingos e repetir nas segundas. Será Jovem falando para jovem sobre grandes temas, sempre no mesmo horário . Se quiser enriquecer o tema é só ligar e participar. Fique à vontade.

Mas, para mim, esse é um momento especial, pois dou a minha contribuição para a divulgação dessa Doutrina Maravilhosa, que é um projeto divino, para ajudar a humanidade a sair do círculo dos enganos em torno das questões espirituais.

 O Emmanuel, espírito orientador do grande Chico Xavier, asseverou que “o maior bem que fazemos à Doutrina Espírita é a sua divulgação”. Há um projeto da espiritualidade atestando que quando o Chico retornasse ao mundo espiritual, quando “morresse” , e isso já  ocorreu,  ele reencarnaria no Brasil para dar seguimento à sua missão. Tem Espírita que diz que o Emmanuel já esta reencarnado lá pelas bandas do Sul do País e já é “menino buchudo”. E se for verdade nós teremos aqui no nosso planeta um homem evoluído que vai ajudar a humanidade a dar um impulso para frente. Se for, que o Emmanuel, seja bem vindo, pois o planeta vai dar uma sacudida à ordem do bem. E quem sabe se Chico, agora no “alto”, possa lhe assessorar, nesta nova empreendida, como  Emmanuel o fez nessa encarnação e os papeis possam se inverter. Será a oportunidade de ele dar aquelas puxadinhas de orelha no "Emmanuel", acertadas,  e que nos ensinou tanto, caso ele resolva deixar o caminho. Mas isso é quase impossível.

Mas o de sexta é sempre um debate, que essa semana mais uma vez não houve.

E nós tratamos, sexta,  de um tema meio estranho, escrito por Mateus, que disse o que  Jesus teria dito. Mas, tirando as traduções grosseiras, ele realmente retratou com proximidade a fala de Jesus. Mas desse tema, é preciso extrair o Espírito da letra. O homem faz muita bobagem porque “não sabe ler” e tampouco interpretar as passagens do alto. Mas isso faz parte do nosso contexto espiritual. O próprio Jesus disse que nós deveríamos ser “mansos como as pombas e astutos como as serpentes”, para não levar gato por lebre e não ser ingênuos nas crenças. Falou que surgiriam falsos profetas que enganariam até “os eleitos” e tem uns que dão até nó em pingo d’água, mas se você analisar bem e detalhadamente só tem verniz. Ele disse ,também,  que nem todos que dizem “senhor, senhor, entrará no Reino dos Céus”. Talvez estejamos fora dele.

Mas vejam o que o homem mais preparado da Terra disse para servir de guia para os seus passos e entenda. Mas não leve ao pé da letra, senão vai sofrer:

“Não acumulei tesouros na Terra, onde a ferrugem e os vermes os comem e onde os ladrões os desenterram a roubam. Acumulai tesouros no céu, onde nem a ferrugem, nem os vermes os comem. Porquanto onde está o vosso tesouro aí está também o vosso coração” (...)

Antes o banco do povo era embaixo da terra. Os ricos enterravam as suas riquezas, para que os gatunos da época não surrupiassem o que possuíam. Hoje nós temos os bancos, mais seguros. Você "empresta" o seu dinheiro a eles e eles te dão uma “merreca” de juros para movimentar o seu precioso dinheirinho. Vê aí como os juros da poupança o quanto são quase irrisórios? Em contra partida, quando você adquire deles, por empréstimos, eles fazem a festa.

Mas o  bom mesmo e imprescindível é acumular tesouros morais, intelectuais, que ninguém consegue roubar. Os outros ficam,  e nós jamais  os  conduziremos. Os tesouros do céu são as nossas conquistas pessoais para o equilíbrio interior. É esse o nosso objetivo maior. Razão e sentimento, sabedoria e  amor.

Mas há uma parte que você precisa decodificar e extrair a intenção do mestre dos mestres, se não vai se dar mal:
(...) Não vos inquieteis por saber onde achareis e que comer para sustento da nossa vida, nem de onde tirareis vestes para cobrir o vosso corpo “(...)

 Se você levar isso ao pé da letra, seria a negação de toda a previdência, de todo trabalho e por conseqüência do progresso.  Era como se o pensamento de Jesus estivesse entrado em contradição com o que disse em outras vezes. Mas, como dizem os espíritos, isso é uma visão poética, uma alegoria da providência, que nunca deixa ao abandono os que confiam nele, para isso há a jurisdição divina que dá a cada um o que o seu e sem privilégios, pois tudo são conquistas, merecimento e jamais graça, que parece mais aquele jeitinho brasileiro.

TRABALHE, meu amigo, e sempre no bem, pois a “semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória”. E seja previdente.

PENSE NISSO! MAS PENSE AGOR MESMO.

http://www.reynollds.blogspot.com/

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

PENSE DIREITO IV - O DIREITO E A VIDA

PENSE DIREITO IV - O DIREITO E A VIDA
(Reynollds Augusto)

O que é que o Direito tem  a ver  com a vida? Tudo.

Alías, apesar do nosso direito histórico e social ser o resultado de um longo processo de evolução, em que o homem descobriu que para se viver em sociedade, ele precisa de regras e freios,  visando conter os seus ímpetos de superioridade, onde o orgulho e o egoísmo são os impulsionadores, e onde o “mais forte” subjugaria” o mais fraco”; o Direito já existia antes e apenas foi descoberto pelo homem.

Nada é produto de construção própria e , na verdade, tudo já existe, mas precisa ser descoberto e isso se chama desenvolvimento. São “mistérios” que o nosso subjetivismo não consegue alcançar. É como diz a sabedoria evangélica: “ Buscai e achareis; batei e abrir-se-vos-á”.

É bom considerar que a vida em si é um grande projeto de Deus e como todo projeto sempre reflete a intenção e inteligência do projetista, esse, o  de DEUS, é perfeito.

Na academia nós o apelidamos de Direito Natural de, “o  Direito  do SER”, devido não comportar vertentes, uma vez que é perfeito. Os resultados não admitem manipulações, sendo sempre  decorrência da ação.  O fato é que a   constituição divina  se chama  LEI DE CAUSA E EFEITO. É ela  que regula a minha e a  tua vida. Jesus nos levantou um pouco o  véu desse direito impecável e tratou deste lei. Outros luminares, em culturas diversas, fizeram o mesmo. Tudo é resultado e conseqüência e nada é graça ou privilégio. Já o direito do homem é imperfeito, mas perfectível, é o  Direito do “DEVER SER”. Mas à medida que o ser humano evolui, as normas se aperfeiçoam e vamos buscar a verdadeira justiça, que está no âmago, na consciência profunda e que um dia será liberada, pelo despertar de cada um.

O Direito superior ( SER) é “positivado” por esse órgão legiferante universal (Deus), que mandou um dos seus emissários, Jesus, da cidade de Nazaré, informar que “nenhuma só das ovelhas do meu Pai se perderá”.

O nosso Direito é uma cópia imperfeita do Direito de Deus, mas já foi pior e está se aperfeiçoando cada vez mais. O psiquismo divino sabe tudo e pode tudo, desde que não afronte as suas leis magnânimas. A solução é procurarmos saber também, sem ilusões, as razões da existência, para que possamos pautar a as nossas vidas e as nossas condutas por meio dessa ordem universal, e foi por isso que o nosso professor, por excelência, disse “conhecerei a verdade e a verdade vos libertará”, ou seja, conheça essa “constituição” divina que não é produto de um tempo, de uma situação social, mas é  fruto da perfeição original, um dos atributos dessa causa primeira, que não derroga as suas leis,  posto que são perfeitas.

 Essa certeza é o resultado da observação precisa de tudo que existe e que não pode ter surgido do nada, pois o nada, também, não existe. Tudo que não é obra do homem só pode ter vindo de uma inteligência superior que continuo apelidando de “Deus”.

O nosso agir, o nosso pensar, serão nossos advogados no momento certo. Temos tido notícias de inúmeros amigos, que já estão desvestidos da carne, e que sofrem por terem escolhido mal os seus caminhos. Nós, aqui, no mais das vezes, somos influenciados pela “onda” do momento e esquecemo-nos de produzir o melhor para as nossas vidas, que está se esvaindo a cada hora, gastamos a nossa energia vital para correr atrás do secundário e esquecemos de lutar pelo essencial.

Quem já quase “morreu” ou passou algumas horas em coma, como eu, sabe do que estou falando. Mas quem não teve uma experiência de quase morte, dirá que estou falando besteiras. A sensação é horrível. É a de leite derramado. Ainda bem que retornei para concluir o meu projeto pessoal, mas muitos não conseguiram voltar e estão chorando a oportunidade perdida. Agora, só em outra reencarnação, se é que estarão aqui nesse novo tempo que se aproxima.

Idéias, idéias, idéias, certezas, certezas, certezas. A sua é uma idéia ou uma certeza? A experiência vivida me dá a certeza de que a mente não está no corpo, que é um instrumento, e sim fora dele, no espírito, que é imortal. A visão extra-corporal é mais qualificada e você consegue perceber com mais eficiência as razoes da vida, ou não. Isso depende da sua maturidade.

O Direito à Vida é indiscutível. Mas a vida do Direito é um processo contínuo de aprimoramento, pois Deus Espera muito dos seus filhos, pelas potencialidades concedidas.

“Vos sois deuses....”

Você, nessa vida, precisa procurar respostas para bem viver.

PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA MESMO.

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Feliz Ano Todo

UM FELIZ ANO TODO
(Reynollds Augusto)

Todos nós sabemos que o tempo não existe, sendo apenas uma convenção para delimitar os nossos passos, as nossas ações, os nossos compromissos. O que é o passado? O que é o futuro?  E cadê o presente?  Que é feito de agoras e que agora já se foi.

Quem disse que presente, passado e futuro é uma grande mentira foi o grande Einstein, mas esses vôos filosóficos estão muito além de nossa compreensão tridimensional da existência. Tem gente que pensa que a vida só é isso mesmo.

- “Eu vou aproveitar, que não sei o dia que vou morrer.”

Aproveitar o quê meu amigo? Olha lá...

Que morte?

 Nós sabemos muito pouco ou quase nada. E pensar que ontem estávamos todos unidos, em família, discutindo a rapidez no ano que se foi e prometendo que faremos aquilo que precisamos realizar e que poucos conseguem fazer, em sua integralidade.

Já estamos no terceiro dia dessa nossa etapa que começou e que “daqui a pouco” termina de novo, pois o tempo é uma ilusão que engana e um ano na relatividade parece um dia, como uma vida de cem anos é um segundo no relógio da eternidade.

 Cada dia que nasce são oportunidades para o espírito imortal e oportunidades perdidas emperram as conquistas, mas a verdadeira jóia é o presente. Ele é aparentemente concreto, mas fugidio.  A semeadura vai ditar as nossas colheitas futuras, que logo chega. Hoje estamos colhendo o que semeamos no passado e o futuro será a colheita do que plantamos no presente e não se engane, que acontece.

Jesus já disse há mais de 2000 anos, que os tempos estão chegados. E os espíritos atestam que já estamos entrando no mundo de regeneração, e que aqui só habitarão espíritos que querem, sinceramente, mudar e resignificar as suas vidas. Os outros, que querem continuar pelejando no mal, estão “morrendo”, mas não voltarão aqui para Terra, pela reencarnação (o nascer de novo), pois não haverá espaço para eles, sendo por isso que Jesus disse:” que os bons herdarão a Terra”.

Isso é fatalidade divina. Tem muita gente comprometida com as leis da vida e dentre eles, e em maior parte, os pseudo-religiosos, que vivem, alguns, de hipocrisia, a verdadeira erva daninha, que sempre existiu.

Mas há muita gente boa que aprendeu as lições e vive o que acredita, com base na proposta do Evangelho, que é o código que conduz à felicidade. Quem será “bode” e quem será “ovelha”. Isso é lá com a tua consciência.

Não falo apenas do passado dessa existência e sim do passado das inúmeras experiências vividas e que juntas formam a nossa individualidade imortal, que continua após a morte do corpo físico, até atingir a plenitude ou a “salvação”, como algumas religiões falam, mas que, em verdade, se trata, de evolução.

Há uma fatalidade: Um dia nós divisaremos a luz. Ou, “todos nós um dia seremos anjos”. Isso é promoção conquistada e não graça dada,  pelo exercício de uma fé que lhe dista ainda mais de Deus e que nada produz.

A grande verdade é que nós estamos morando em um planeta atrasado, mas que já foi pior e está melhorando, apesar dos agourentos de plantão. Aqui é um hospital, uma escola e também uma prisão. Ou você está aqui para se tratar, ou está para apreender ou está para resgatar os males feitos em outros momentos. Isso se chama Justiça Divina, que não tem o “jeitinho brasileiro”.Afinal, segundo Jesus, não sairemos daqui enquanto não pagarmos  o último ceitil. E é o último mesmo.  Existe, por trás, toda uma programação espiritual dessa nova existência, dentro da vida que é única.

Nossas vidas são programadas por nossas atitudes e nossas atitudes no bem minimizam a pena, que a vida nos impõe pelos equívocos cometidos. Ela fica mais leve, a dosagem fica mais suportável. Foi por isso que o apóstolo já disse “O amor cobre uma multidão de pecados”.

Mas não vale encenação e Deus sabe do profundo de sua consciência. Quando mudamos, de verdade, para o bem, a vida que escorrega pelas mãos, se torna menos sofrível e as oportunidades surgem. Deus não está cochilando e tem as rédeas desse mundo, apesar do homem orgulhoso achar que não.
O seu papel é evoluir e dar bons frutos e Deus não tem pressa. Como disse Richard Simmoneti:
(...) Mestre ilustra suas afirmativas, dizendo:
Um homem tinha uma figueira em sua vinha e, indo colher-lhe os frutos, nenhum achou. Disse, então, ao viticultor:

– Há três anos que venho procurar frutos nesta figueira e não encontro nenhum. Corta-a! Por que ocupa ainda a terra inutilmente?

Respondeu-lhe o viticultor:

– Senhor, deixa mais este ano, até que eu cave em roda e lhe ponha adubo. Se der fruto no futuro, ficará. Caso contrário, mandarás cortá-la.

Não raro, guardamos esterilidade espiritual durante existências inteiras, preocupados com interesses imediatistas, prazeres e riquezas.

Este ano faça diferente

FELIZ ANO TODO

PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA MESMO.