quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

PARA ONDE IREMOS?

Para Onde Iremos?
( Jesus Soares da Fonseca - Fonte itaporanga.net)

Quero registrar meus agradecimentos ao grande escriba espiritualista do nosso Mural, Reynolds Augusto Cabral. Seu incentivo enche-me de coragem para continuar escrevendo, deixando aqui minhas ideias. No seu escrito, uma diminuta frase, em tamanho, chamou-me a atenção e não poderia deixar de tecer alguns comentários sobre ela: “Que somos pobres mortais, imortais!”. Que coisa rica! Com apenas 5 verbetes expressa-se um pensamento profundo, filosófico, a dualidade do ser humano. O Corpo ou a matéria tendente à extinção, o Espírito ou Ânimo livre do fenômeno da decomposição, do fenecimento, ou mais ainda, o Espírito sobrevivendo ao Corpo.

É neste momento que fico em dúvida se Cristo falou apenas; “Memento homo, quia pulvis es et in pulverem reverteris – lembra-te ó homem que és pó e em pó hás de tornar!”. Será que os escribas, que reproduziram suas palavras ou tentaram, não se esqueceram de algo mais essencial? Será que o Filho de Deus deixou apenas subtendido, com aquelas palavras, a sobrevivência da Alma? Ou fanáticos, para impor a fé, através do medo, aproveitaram-se da expressão para aterrorizar mostrando que o corpo, após morte, será devorado por germes, por ratos, ficando pútrido, fedorento e outras baboseiras da espécie, como castigo de Deus?

Numa prédica de um bispo da Igreja Católica, aureolado como Santo pós-morte, quando em vida ele clamava o homem a se lembrar de sua condição mortal mostrando-lhe, macabramente, o fenômeno total da decomposição de um corpo depois de morto como se isso fosse condição “sine qua non” do ser humano. Esquecia ele que tal fenômeno é inerente a todo corpo animado, a todo corpo que tem vida, inclusive irracionais. Todavia, esta prática de amedrontar as pessoas como forma de atraí-las ou conservá-las no seio de sua religião, infelizmente ainda vai perdurar, pelo menos enquanto existirem os fanáticos, os carolas, os com pouca formação cristã.

É uma prática que vem de antanho, inclusive com a morte injusta de muitos inocentes por não estarem de acordo com ideias absurdas que surgiam no seio das igrejas. Nem cientistas, pessoas inteligentes escapavam de tais ideias absurdas, tornavam-se hereges e como tais condenados à fogueira. Giordano Bruno foi um deles, mesmo ameaçado de ser queimado vivo, continuou firme, convicto de suas teorias, entre elas, a de que seria possível a existência de vida fora da Terra, em outros sistemas espalhados pelo Universo. Como imposição para ver se ele abjurava suas ideias, obrigaram-no a ouvir a sentença de joelho. Em resposta, ele se expressou: “Maiori forsan cum timore sententiam in me fertis quam ego accipiam - Talvez voces sintam maior temor ao pronunciar esta sentença do que eu ao ouvi-la”. Assim, ele deixava seus algozes amendrontados, com a consciência pesada. Por tal desafio, antes da execução da pena, pregaram sua lingua numa tábua.

Giordano Bruno, o Grande Teólogo Dominicano, certamente tinha razão em seu pensamento, ao vislumbrar a existência de vidas em outros sistemas solares ou estelares espalhados pelo Universo. Um dia nosso sistema solar se extinguirá. Segundo dados científicos, nestes 5 ou 6 bilhões de anos. Certa vez, eu comentava com um amigo sobre tal teoria, quando ele retrucou: “cinco bilhões de anos? Isto jamais chegará!”. Interessante! Como mensurar grandeza que nos parece infinita, se torna inconcebível a nossa mente!

Mas dissecando este meu pensamento é que vemos a incongruência daqueles que apregoam, como bem querem e desejam, a Existência Divina. Na eterna ânsia de impor suas verdades, procuram driblar o consciente humano que caminha sob suas teorias, negando outras verdades que nos são palpáveis. Alegam que a Terra é o único planeta onde há vida. Segundo suas ideias, aliás, péssimas ideias, a negação da existência de vidas em outros pontos do Universo se concretiza porque, segundo eles, o contrário estaria negando a vinda do Messias à Terra. Outra incongruência! Se Deus tomou uma essência humana na Terra, Ele, como Todo Poderoso, poderia agir de igual forma em outras partes do Universo, ao mesmo tempo, onde há vida.

O Grande e Infinito Construtor do Universo, dentro de sua eterna onisciência, construiu sua obra sem nenhum defeito, tudo na ordem, tudo metrificado, tudo medido, tudo pesado, uma edificação grandiosa, tanta, que o ser humano é incapaz de entender esta grandiosidade. Surge então a pergunta: como então Ele colocaria vida em nosso planeta para depois deixá-lo inabitável, simplesmente, extinguindo por completo do Universo o bem maior de sua Obra? É sabido que com o fenecer de nosso Sistema Solar, a vida na Terra se tornará impossível. Para onde iremos? É neste momento que deveremos observar com muito respeito a teoria das religiões espiritualistas. A reconstituição de uma vida humana com um sopro espiritual, só que agora, em outras partes do Universo aonde seja possível a existência de vida, aonde haja os elementos fundamentais a essa existência, como carbono, oxigênio, nitrogênio, hidrogênio, água, etc.

Nosso Sistema tem, como astro rei, o Sol uma estrela de quinta grandeza considerada cientificamente como uma estrela anã, mas que nos é sumamente importante. Anã em relação à grandiosidade de outras que pululam pelo Universo que ainda não foi completamente compreendido pela comunidade científica.

Imagine agora o que é o nosso planeta, um simples grão de areia nessa imensidão toda. O volume que o Sol ocupa no espaço é simplesmente um milhão e quatrocentas mil vezes maior que a Terra, ou seja, dentro deste volume caberia 1.400.000 planeta Terra.

Entretanto devemos pensar que o Sol brilha na medida exata e que a Terra se acha adequadamente a uma distância de sua esfera. Veja bem! Se estivéssemos mais próximos, por certo as águas de nosso planeta seriam vapor, por outro lado se estivéssemos mais longe, o inverso aconteceria, os Oceanos, os Rios, os Lagos estariam em estado sólido, basta ter como exemplo nossas calotas polares que por receberem menos incidência solar, são eternamente geladas, como os Oceanos Ártico e Antártico.

Quando falamos que o Sol brilha na medida exata é porque sabemos que luz muito brilhante consome com maior intensidade. Como um exemplo muito rude, observemos o brilho de uma vela comum e o brilho de uma que tenha o pavio mais grosso. Por certo esta brilhará com maior intensidade, em compensação se extinguirá mais rápida.

Assim, diante de tanta grandeza, podemos imaginar que por trás de tudo isso há uma Força Sobrenatural que dispôs tudo numa ordem perfeita, com uma distribuição harmônica capaz de manter a uniformidade do Universo.

Cinco bilhões de anos? Vou tentar pensar como meu amigo, mas tenho quase certeza que não viverei até lá.

Feliz Natal para todos!

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Prefeito eleito de Campina Grande terá quase o dobro de aumento no salário


A Câmara Municipal de Campina Grande aprovou nesta terça-feira (27) um reajuste de salário de 61,6% para os vereadores.
Os parlamentares recebem atualmente uma remuneração mensal de R$ R$ 7.430,39, mas a partir de janeiro de 2013 passarão a ganhar R$ 12.025,25. Também foram aprovados os aumentos de salário do prefeito e do vice-prefeito.
O salário do prefeito eleito Romero Rodrigues saltará de R$ 11.146 mil para R$ 20.042. O do vice-prefeito passará de 7.297,28 para R$ 12.025,25, igual, portanto, ao dos vereadores.
O presidente da Câmara ganhará o mesmo que o prefeito. No orçamento da Casa de Félix Araújo para o próximo ano, de R$ 13,4 milhões , cerca de 70% será para a cobertura dos salários e 30% para custeio do legislativo, conforme o presidente da Comissão de Finanças e Orçamento, vereador Antônio Pereira.
O presidente da Câmara, Nelson Gomes Filho, explicou que o reajuste está dentro da lei, a qual prevê que um vereador pode ganhar até 60% do vencimento de um deputado estadual. “Além disso, vereador só tem aumento salarial a cada quatro anos e 25% do total são descontados na fonte de Imposto de Renda”, esclareceu Nelson.
Para presidente da Comissão de Finanças e Orçamento, vereador Antônio Pereira, era necessária uma discussão mais ampla sobre o assunto. “Deveria haver o trâmite correto, de forma que a população tenha acesso à mais ampla informação, para que não pareça que esta casa se reúne às escondidas. Todo valor de reajuste é muito para quem não corresponde com o seu trabalho. Este aumento terá repercussão financeira ainda muito maior no Executivo, pois será o teto legal dos coordenadores, secretários, gerentes e toda sorte de administradores deste município”, afirmou.
JP Online

domingo, 25 de novembro de 2012

Revolução pelos impostos


Quando pensamos em impostos, as palavras que nos vêm à mente são fardo, expropriação, roubo. E não há dúvida de que taxas sejam exatamente isto: uma obrigação que nos surrupia preciosos anos de trabalho e que tem por objetivo financiar o funcionamento da máquina estatal, que inclui coisas úteis e outras nem tanto.
Há, porém, outra maneira de ver os tributos. Eles funcionam no mundo moderno mais ou menos como fatores ambientais atuavam no passado darwiniano, ajudando a moldar nossos comportamentos, ao definir quais são os bens mais e menos abundantes e os incentivos que temos para persegui-los ou evitá-los.
Uma canetada do governo, reduzindo provisoriamente impostos sobre veículos, fez com que milhares de famílias brasileiras realizassem o sonho de comprar um carro. Para tanto, muitas tiveram de endividar-se. E isso teve impacto sobre outras decisões de compra, o que resulta numa redistribuição de lucros e prejuízos ao longo de toda a cadeia. Se os empresários e operários da Ford ganharam, o dono da pousada e o pipoqueiro do cinema podem ter perdido.
Políticas tributárias têm alcance ao um só tempo sutil e profundo. A epidemia de obesidade nos EUA, por exemplo, está vinculada aos fartos subsídios oferecidos aos produtores de milho, do qual se extrai a alta frutose que adoça refrigerantes e uma série de outras guloseimas que ficaram perigosamente baratos.
O poder dos impostos para alterar hábitos é tamanho que o psicólogo Geoffrey Miller diz que, manipulando-os, podemos promover verdadeiras revoluções comportamentais, em tempo recorde e quase sem sangue.
Evidentemente, para que as pessoas possam jogar esse jogo com autonomia, precisam antes saber quanto imposto pagam. É esse conhecimento básico que Dilma vai dificultar se vetar a lei que obriga a informar o consumidor das taxas que incidem sobre os produtos.
Folha Uol

sábado, 24 de novembro de 2012

TOLA VINGANÇA

Tola Vingança (Reynollds Augusto)
 
Eu sempre fui um admirador dos clássicos orientais, pois eles encerram princípios que norteiam a vida.
 
Essa semana no estudo do Esle, que acontece todas as quintas-feiras, no Centro Espírita Jesus de Nazaré, tratamos da vingança. Um sentimento triste que ainda está enraizado no coração de muita gente boa e que provoca as chamadas enfermidades  psicossomáticas, deixando as pessoas com aquelas “doenças misteriosas”, que surgem de súbito.

  O encontro é bem interessante porque nos faz refletir sobre as nossas vidas e identificar onde precisamos melhorar. Isso se chama REFORMA ÍNTIMA, que é o mesmo que FELICIDADE, que é o mesmo que “SALVAÇÃO”. O equilíbrio pessoal é um esforço íntimo e jamais uma graça de Deus ou o resultado dessas “mágicas” da fé, que não existe.
 
Tudo isso me fez lembrar de Jesus, em Marcos quando ele assevera: “Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me”...
 
E tem gente “vendendo” milagres a quilo. São os vendilhões dos templos, modernos, relacionando as bênçãos de Deus, com as posses e fomentando ilusões no seio dos cegos, que são todos nós ainda imaturos e desavisados. Estamos todos nos direcionando ao fosso.
 
Ainda bem que existe a reencarnação para que corrijamos os equívocos e tenhamos a oportunidade de nos depurar. Temos a imortalidade. Mas até lá muita gente boa sofrerá por conta de suas escolhas, como um pai que puxa a orelha dos seus filhos que não querem aprender pelo exemplo.
 
Há uma lenda chinesa, que gosto muito, e que é muito tradicional entre eles: O rei sol tinha uma filha muito amada, tão linda que até o imperador Amarelo era cheio de admiração por ela. O rei sol sempre saia para dirigir o curso da aurora a cada manhã e sempre a filha desejava ir, mas como tinha muito afazeres a cumprir não permitia. A danada da menina – coisas de criança- pegou um barco escondido e remou secretamente atrás do pai. Veio uma tempestade e ela foi tragada pelo o mar e o pai ficou tomado de tristeza.
 
A lenda disse que a menina renasceu como um pássaro muito conhecido na região, de cabeça listrada, garras vermelhas e bico branco. Tem um canto lamentoso e por isso foi chamado de Jingwei. O pássaro prometeu se vigar do mar, dizendo que o transformaria em terra seca. Começou a fazer uma coisa impossível. Catava pequenas pedras com o bico, voando de sua casa para o Mar do Leste e deixava cair sobre as ondas, com o propósito de aterra o mar.
 
O lado bom da estória é a persistência do pássaro atingir os seus objetivos. Jesus também disse que aquele que perseverar até o fim “será salvo”. O lado ruim é o empenho que ele realiza em querer realizar uma vingança que não vai dar em nada. Vai morrer tentando.
 
- Pequeno pássaro, desista! Mesmo se trabalhar por um milhão de anos você nunca me transformará numa planície deserta.

  - Mesmo que eu leve dez milhões de anos ou cem milhões de anos, até o final do mundo, vou tratar de fazer de você terra seca.
 
Tem muita gente boa que vive como o pássaro, alimentando o ódio, potencializando o seu orgulho. Mesmo que jamais consiga atingir o alvo, que considera seu inimigo, não desistem. Mesmo que o organismo nos revele que o nosso sentimento está causando doenças psicológicas, como depressão e tudo mais e até câncer. Mesmo assim se persiste nos erros. Sofremos, choramos, mas ratificamos bradando até o fim:
 
“Morro, mas não me entrego! Vou até o fim”.
 
Se você é assim leitor mude de direção enquanto há tempo. Não sofra mais e viva leve, feliz, perdoando. Jesus nos propôs a reconciliação com o adversário, enquanto esta a caminho com ele.
 
O Esle de quinta foi magnífico. Estamos lhe esperando à próxima lição.
 
PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA MESMO
www.pensenisso.itaporanga.net

terça-feira, 20 de novembro de 2012

O Poeta do Oiti faz cordel sobre o dia da Consciência Negra

O Poeta Nicário Palmeira Honorato Palmeira, o Poeta do Oiti, faz cordel em homengaem ao a Conciência Negra.


O Dia da Consciência Negra


O Dia Nacional da Consciência Negra é celebrado em 20 de novembro no Brasil e é dedicado à reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira. A semana dentro da qual está esse dia recebe o nome de Semana da Consciência Negra.

A data foi escolhida por coincidir com o dia da morte de Zumbi dos Palmares, em 1695. O Dia da Consciência Negra procura ser uma data para se lembrar a resistência do negro à escravidão de forma geral, desde o primeiro transporte de africanos para o solo brasileiro (1594).

Algumas entidades como o Movimento Negro (o maior do gênero no país) organizam palestras e eventos educativos, visando principalmente crianças negras. Procura-se evitar o desenvolvimento do auto-preconceito, ou seja, da inferiorização perante a sociedade.

Outros temas debatidos pela comunidade negra e que ganham evidência neste dia são: inserção do negro no mercado de trabalho, cotas universitárias, se há discriminação por parte da polícia, identificação de etnias, moda e beleza negra, etc.

O dia é celebrado desde a década de 1960, embora só tenha ampliado seus eventos nos últimos anos.

wikipédia

Vejam o Poema:

Retrato da discriminação e Zumbi – líder do quilombo 

A Cor da Igualdade

Um mundo sem preconceito

Sonhamos um dia ter
Mas para isso precisamos
Lutar para merecer
Um futuro diferente
Onde cada um vivente
Seja igual no seu viver

XX


Como pode um ser humano

Ser no mundo desigual
Se o coração e a mente
Só trabalham por igual
Se na vinda e na partida
Respiramos a mesma vida
De um ser celestial

XX


Se do barro nós viemos

Sendo uma família só
E num sopro de poder
Vemos a lua e o sol
E porque descriminar
Se um dia vamos estar
Corroídos pelo pó

XX


Ser negro branco ou pardo

Toda cor é natural
Seja legítimo ou bastardo
Respiramos por igual
E um mundo com respeito
Não pode ter preconceito
Nem de cor nem racial


Nicário Palmeira Honorato - Poeta do Oiti

domingo, 18 de novembro de 2012

O portal Pedra Bonita entrevista Paulo Rainério Brasilino, o criador do FICA

O portal Pedra Bonita entrevista Paulo Rainério Brasilino, o crriador do FICA. Nesta segunda edição o Festival Itaporanguense de cultura e Arte, terá três dias de duração, 15, 16 e 17 de novembro com 47 atrações.

Vejam o vídeo:


O portal Pedra Bonita entrevista Paulo Rainério Brasilino, o crriador do FICA

A entrevista foi ao ar no dia 14 de novembro

SEGUNDA NOITE DO "FICA" REUNIU CENTENAS DE PESSOAS QUE FORAM PRESTIGIAR OS ARTISTAS LOCAIS. CONFIRA FOTOS, VÍDEOS E A PROGRAMAÇÃO DE ENCERRAMENTO!



Muita gente atendeu novamente  nessa sexta-feira,16, ao convite para assistir a segunda noite do Festival Itaporanguense de Cultura e Arte - o FICA, que já acontece há dois anos consecutivos. Com uma programação diversificada e buscando atender aos mais variados estilos e gostos. 
Com início pouco depois das 7h da noite e se estendendo até a madrugada deste sábado (17), cantores em dupla ou de grupos musicais da cidade aproveitaram o espaço concedido pelo Festival para demonstrar seu trabalho, fruto da inspiração e talento que possuem. 

Prestigiando também este grande evento cultural, estiveram Jucivan Araújo coordenador e articulador cultural da região juntamente com o representante da secretaria estadual de cultura do estado Rosildo Oliveira, onde aproveitou para elogiar a iniciativa e realização do evento e ao mesmo tempo assegurando a inclusão do Festival no circuito cultural estadual. Além dele, o prefeito eleito Audiberg Alves acompanhado da primeira-dama Naura Ney reafirmou que sua gestão apoiará da melhor forma possível em parceria com o governo estadual a realização do próximo FICA em 2013.

Entre os artistas que estiveram se apresentando na segunda noite do Festival, estavam Chico Candido que trouxe todo o saudosismo romântico através de suas canções, a dupla Daniel e Jean / Carlos e Daniel animando o público no melhor estilo sertanejo universitário, o  famoso poeta e cordelista Merlânio Maia declamando versos e contando 'causos' ao lado do também grande maestro e compositor Bebé de Natércio  que chamaram muita atenção da plateia durante suas belas apresentações. O romântico Nilton Mendes cantou belas músicas de sua própria autoria e algumas da jovem guarda, fazendo a alegria e embalando os passos de dança de muitos casais.  Já caminhando para o encerramento da segunda noite do FICA, o timbre vocal da cantora Lourdes Vicente assemelhado ao de Paula Fernandes surpreendeu muita gente. E agitando a galera com todo o seu swing , Elson Pressão fez muita gente se mexer acompanhando e dançando grandes sucessos do pagode e axé.


E na tarde deste sábado, quando se encerra o II FICA, aconteceu uma oficina de música ministrada pelo reconhecido músico itaporanguense Gilvandro Pereira (popularmente conhecido como azeitona do trombone), que é um dos destaques para esta noite de sábado, onde acontece encerramento da segunda edição do Festival Itaporanguense de Cultura e Arte - FICA.


Confira através de fotos e vídeos alguns dos artistas que passaram pelo grande palco do FICA em sua segunda noite de apresentações.

Confira algumas imagens:

Chico Candido
Daniel e Jean
Lourdes Vicente
Nilton Mendes
Elson Pressão
Público prestigia os artistas locais

Assista aos Vídeos: 
Outros vídeos assista diretamente em nosso canal no Youtube, clicando AQUI!

VEJA A PROGRAMAÇÃO PARA O 3º E ÚLTIMO DIA DE APRESENTAÇÕES 
DO II FICA:

SÁBADO
7H00 – CABO MOISÉS E ZÉ DO GALO
7H20 – O MUNDO MÁGICO DE PATRÍCIA
7H30 - GRUPO GICI
7H40 – EDMILSON E LUZES DA RIBALTA
8H30 – DERLAN
8H40 – EVANDRO
9H00 – FABINHO DO ACORDEON
9H30 – ZÉ DO AGRESTE – Onildo
9H50 – XAMEGO BOM
10H20 – CABO HONORATO
10H35 - JULIÃO
11H05 – AZEITONA DO TROMBONE
11H35 – MENSAGEIROS DO SAMBA
12H10 – FORRÓ DA LAMPARINA
12H45 – FORRÓ DA PLAYBOSADA
01H30 – GEORGE / WILKA E HELOISA
02H00 – DJ CARTAXO


*OBS.: A programação está sujeita a alterações pela produção do evento em virtude de possíveis imprevistos.

Publicado em 17 de novembro por

Edízio Marques Lemos - Itaporanga Online

1ª NOITE DE APRESENTAÇÕES DO FICA - FESTIVAL ITAPORANGUENSE DE CULTURA E ARTE; VEJA COMO FOI!

Ocorreu na noite dessa quinta-feira, 15, na avenida Getúlio Vargas - centro de Itaporanga, a primeira noite do II Festival de Cultura e Arte (FICA). As apresentações começaram por volta das 19h e se estenderam até o começo da madrugada desta-feira. Em sua segunda edição, o FICA é dedicado como homenagem póstuma a Eduardo Bernardino, um grande apoiador do evento, que teve sua também sua foto exibida em um grande telão.

No palco, os valores da terra se revezam em suas apresentações que de modo eclético iam desde grupo de dança como foi o da escola creche Santa Clara de Assis, passando pelas rimas e contos do poeta J.Sousa, a versatilidade das bandas e grupos de raiz locais tais como A Cor do Som, Saco de Estopa e Maçã com Mel, e o talento vocal da dupla Carlos e Daniel, e da apresentação do cantor Batistuta entre outros que mostraram o melhor de si num gesto de avivamento e fortalecimento da cultura local . 

Mas, um dos grandes destaques da noite e que por aqui não havia sido visto antes em um grande palco foi a apresentação da Banda Cabaçá, onde seu som característico deve ter feito os mais velhos lembrar dos tempos idos, uma época muito boa para muitos e que não volta mais. 

Mas nem só de apresentações no palco consiste o FICA, fora dele há tendas armadas que exibem a grande força criativa, o talento da gente de nossa terra. Este é o caso do artesão "seu Gabriel", que utiliza como matéria prima Cabaças dos mais variados tamanhos e  formatos, bem como também peças de madeira de árvores bem conhecidas do sertanejo. Um trabalho que enche os olhos pela sua beleza, além de ser até mesmo ecologicamente correto.

Nesta sexta-feira, 16, mais outras atrações representando a cultura e arte locais estarão presentes na segunda noite do Festival Itaporanguense de Cultura e Arte, onde haverá duas apresentações de destaque que são as de Merlânio Maia e de Bebé de Natércio.

Vale a pena sair de casa e acompanhar, incentivar e prestigiar o talento de nossos conterrâneos que tanto fortalecem e enriquecem a nossa cultura.

Confira algumas imagens clicadas pela nossa reportagem:
 

Publicado no dia 16 de novembro por
Edízio Marques Lemos - Itaporanga Online

ESTÁ TUDO PRONTO PARA O "II FICA", QUE ACONTECE LOGO MAIS À NOITE. VEJA A PROGRAMAÇÃO!


Durante parte da manhã e tarde deste feriado, 15 de novembro, os últimos preparativos para o II FICA - Festival Itaporanguense de Cultura e Arte, eram realizados na Avenida Getúlio Vargas com a montagem do palco e do som que serão usados durante os três dias de apresentações do Festival que serve de vitrine cultural para os artistas locais nas suas mais diferentes manifestações e está em vias de entrar oficialmente para o calendário  tradicional de eventos em Itaporanga.

O  II FICA terá ao todo mais de 40 atrações distribuídas nos dias 15 a 17 de novembro, onde passarão pelo palco uma média de 15 artistas em cada noite de apresentação. Hoje, dia 15, será a primeira noite da segunda edição do Festival, que é i idealizado e coordenado por Paulo Rainério Brasilino - que também é editor de um site de notícias, o Portal do Vale.Net. Em cada uma das noites, as atrações sempre começarão a partir das 19h e se estenderão até o começo da madrugada. 

O evento terá transmissão ao vivo via rádio pelas ondas da Boa Nova FM, que opera na frequencia 87,9 e será retransmitido também aqui pelo IOL -  Itaporanga Online.

O Festival acontece em praça pública, na Avenida Getúlio Vargas - centro da cidade, e todos os que puderem estar presentes serão bem vindos para apreciar e até mesmo rememorar toda a arte e cultura de nosso povo.

Confira agora a programação para esta quinta-feira, a primeira noite do II FICA:


19:00 - BANDA MARCIAL "MARTA BATISTA DE MOURA"
20:00 - DANÇA DA ESCOLA CRECHE SANTA CLARA DE ASSIS
20:20 - CABO MOISÉS E ZÉ DO GALO
20:40 - SOCORRO OLEGÁRIO
20:50 - "BANDA CABAÇÁ"
21:10 - J. SOUSA
21:55 - A COR DO SOM
22:00 - ALINE
22:30 - GEORGE
23:00 - ZÉ DO AGRESTE (ONILDO MENDONÇA)
23:20 - LOURDES VICENTE (COVER DE PAULA FERNANDES)
23:35 - CARLOS E DANIEL
23:50 - DANIEL E JEAN
00:00 - SACO DE ESTOPA
00:40 - MAÇÃ COM MEL
01:20 - BATISTUTA
02:00 - PAIXÃO.COM


Publicado no dia 15 de novembro de 2012 por 
 
Edízio Marques Lemos - editor do Itaporanga Online

terça-feira, 13 de novembro de 2012

O Renovado Titico Pedro


O Renovado Titico Pedro

(Reynollds Augusto)

 

Eu não sei quando, especificamente, comecei a ter contato mais direto com Titico Pedro. Talvez a nossa amizade tenha se reforçado dentro dos arraiais espíritas. Escola de vida, rumo à felicidade.  

 

O que sei é que há muito tempo nós estávamos mais próximos e com a ideia de trazer um sistema de comunicação para Itaporanga. Àquela época, só existia a finada difusora de ANDRÉ SOARES, que por muitos anos foi a voz de Itaporanga. Eu me interessei em ajuda-lo para levar ao povo a beleza do pensamento espírita, que é Jesus de volta. Ele também tinha esse propósito, depois de experiênciar um desses episódios espirituais, que o vulgo não acredita.

 

Ajudei a montar a “RÁDIO ALTERNATIVA” que foi um sucesso na cidade. Ruas, praças, ouvindo a bela música ambiente durante os dias e noites da rainha do vale. A garotada se reunia próximo aos postes, nos bancos. Os namorados se encontravam nas praças para ouvir as belas músicas românticas. Todos telefonavam para o estúdio para interagir com os demais ouvintes da cidade. Declarações de amor, oferecimento de músicas, embelezavam as ruas da cidade. Itaporanga àquela época tinha trilha sonora.  Tempo Bom.

 

Depois surgiu a possibilidade de se pleitear uma Radio, de verdade. A lei das Rádios Comunitárias estava em voga. Concorremos mas estava demorando “pra caramba” o desfecho. Titico, como advogado, pleiteou ao Juiz estadual liminarmente, para que a Rádio fosse ao ar, até que a lentidão do congresso fosse exaurida. Conseguimos. Estávamos no ar precariamente, mas por muito tempo. Assim surgiu a nossa tão querida Rádio Boa Nova FM, que depois foi autorizada em definitivo.

 

Titico sempre foi um benfeitor de Itaporanga e quer o seu progresso, de verdade, e sem as intenções escusas dos aproveitadores de plantão. Essa semana eu estava preocupado com a sua saúde psicológica, pois precisou extrair metade da perna, por conta da silenciosa e famigerada diabetes. E nessa altura do campeonato. O acontecido o deixou meio que depressivo e quem não ficaria?

 

Arregimentei um “exército” de amigos para recarregar as suas baterias e fazer com que ele visse a situação por uma ótica diferente. A primeira vez que conversei consigo, estava com a voz embargada e cheio de dúvidas. Mas hoje, eu senti aquele retorno de alegria daqueles homens que não se deixam abater e que não deixa a fronte permanecer ao chão, quando cai , soerguendo para seguir em frente, continuando a marcha. É como diz a música: “levanta sacode a poeira e dá a volta por cima”.

 

Na hora de provação é bom ter os amigos por perto. Enche-nos de força eles repetirem aquilo que nós já sabemos.  A vida é um desafio constante.

 

A veneranda JOANA DE ANGELIS, espírito responsável pela condução do grande DIVALDO FRANCO, já nos disse que nós, os seres humanos, transitamos em um processo evolutivo e que quase sempre somos “crucificados” por problemas que elaboramos para nós mesmos. O que vem a nós nos chega por nossa conta e que só conseguiremos nos desvencilhar deles quando conquistamos a verdadeira saúde que é um estado íntimo de equilíbrio, de harmonia entre os desafiantes conflitos que a todos assaltam a cada instante.  Sem estamos desequipados interiormente sofreremos mais do que problema nos poderia permitir. Titico está bem, feliz, experimentando a outra ótica da vida. Podemos carregar as nossas cruzes sem nos submetermos às imposições mesquinhas de quem quer que seja, tornando-nos livres para aspirar e conseguir, enfatiza.

 

Em dezembro Titico estará conosco e nós pedimos a Deus força para que ele continue firme, pois a caminhada do espírito é longa e não tem termo.

 

PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA MESMO


 

 

 

 

domingo, 11 de novembro de 2012

DANDO UM GIRO PELO SERTÃO


Dando Um Giro Pelo Sertão

(Reynollds Augusto) 

Umas das vantagens de ser Meirinho ou, Oficial de Justiça, é que o gente administrativo “anda” com intensidade e percebe um pouco a realidade vivida por muita gente, “nesse sertão de cabra macho e cabra valente também”.


A vida de gabinete é fria, longe da realidade pujante e quem traz para o juiz outros aspectos dessa vida exterior ao processo é exatamente o meirinho, que vê o drama e a realidade das formas. É por isso que se diz que o Oficial de Justiça são os olhos e os ouvidos do juiz. Pouco jurisdicionado conhece o Juiz, mas todo cidadão sabe quem é o  Oficial de Justiça.


Ontem eu realizei aquele “tur” próprio da função e fui longe.  Na realidade os dois instrumentos do Oficial de Justiça são a Moto e a caneta.  A moto que transporta o meirinho a lugares inimagináveis e a caneta para fazer concreto as decisões do juízo. O meritíssimo aprecia o direito, movimenta o processo, comanda, manda, e o Oficial de Justiça, no outro extremo, faz real, o abstrato das decisões dos gabinetes.  A moto para o Oficial é como a enxada, do irmão da roça. Sem ela não se trabalha. A caneta é a “arma” da jurisdição. Sem ela, também, nada se pode fazer.


Eu digo aos meus colegas que nós deveríamos ganhar uma espécie de gratificação especial do tipo: “gratificação de psicologia jurídica’”. Uma grande parte pessoas que procura o judiciário, em nossa região, é gente do campo, sofredora, necessitada, que tem o seu direito procrastinado pelos órgãos de previdência social. Trabalharam duro anos a fio e no final tem as suas aposentadorias indeferidas. Ainda bem que procuram o judiciário para fazer justiça. E eles, nos atos das diligências, choram, contam os seus dramas, falam da seca, desabafam conosco. E nós os aconselhamos, limpamos um pouco as suas lágrimas.  


A justiça comum estadual é órgão que mais trata dos diversos dramas sociais. Como não é especializada, trata de todo o resto.


- Doutor até quando viveremos tantos problemas sociais?

- ADVOGADO: Espero que por muito tempo, senão perderemos o emprego.

- (?)

 
Mas o bom mesmo é não ter problemas, viver em uma sociedade equilibrada, ajustada, feliz. Esse alcance ainda está longe de ser realizado, pois somos todos espíritos atrasados, em franco processo de evolução.
 

Mas o nosso sertão está seco, cinza, triste.  Confesso a vocês que estou preocupado, mas certo que com as leis naturais não há erro, não há equívocos, o que há são ajustes próprios.  Somos espíritos que temos compromissos com essa região. A terra é bela, fértil, de um povo acolhedor, feliz, apesar dos dramas da seca.


O problema não é da natureza, o problema é de governo. A falta d´agua é consequência de falta de política pública para esse setor. Os nossos invernos são invejáveis, mas perdemos mais ou menos 70 por cento da chuva que cai do céu, sem conseguir acumular o necessário , e quando a seca volta e ela sempre voltará, ficamos vivendo esse drama todo.  Cobrando, chorando, se humilhando.


O momento de discutir a seca é também no inverno, para cobrarmos dos políticos movimento até a próxima seca, que virá.  


Em Israel, no deserto, pasmem, eles produzem alimento que conseguem atender a 90% da demanda interna e geram excedentes para exportação.  E NO DESERTO!  Dê uma espiada (http://revistagloborural.globo.com/Revista/Common/0,,ERT292798-18281,00.html). Por lá a seca é sempre maior. Nós aqui sofremos por descaso e falta de consciência política. O povo, coitado, não conhece, ainda a sua força.


O mestre Luiz Gonzaga, que fez o seu centenário, já nos alertou em torno disso. Queria dizer que a seca faz parte da nossa região e que precisaríamos lidar com ela, até os fins do tempo.

 

Ó Deus, perdoa esse pobre coitado...

 

DEUS MANDA CHUVA

 

PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA MESMO

www.pensenisso.itaporanga.net

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Titico Pedro, Velho de Guerra


Titico Pedro , Velho  de Guerra

( Reynollds Augusto)

 

Titico Pedro é uma dessas figuras que a sua ausência implicaria em uma perda tremenda, para os amigos, para os familiares, para sociedade de Itaporanga. É um elemento social de grande valia, pois têm um coração do tamanho da sua fraternidade. Quem, em mundo como o nosso, profundamente materialista, consumista e ilusionista, conseguiria doar, com o único interesse de fazer o bem, parte de sua propriedade, às famílias carentes? E isso  para  que eles construam as suas moradias, diminuindo os sofrimentos de muitos.  O problema do Brasil e do mundo não são de governos, sistemas políticos e tudo mais. Por trás de tudo impera o egoísmo humano, uma das grandes chagas da humanidade.


Ele não deve estar gostando de começar esse texto enaltecendo a sua figura humana, devido a sua simplicidade. Mas é justo que possamos espalhar o bem e quem sabe, e acho isso pouco provável, que outros proprietários de terras de Itaporanga possam fazer o mesmo? É complicado explicar-lhes que, na verdade, não somos donos de nada e sim estamos na administração temporária e que daqui a pouco o dono, de verdade, vai pedir conta da nossa administração.

 
Se engane não, leitor, que a sua “morte”, a minha “morte”, a nossa “morte”, está bem próxima, pois o tempo é mentira que engana. E não existe, segundo Einstein.  Ficar gastando as energias pessoais para ir à busca apenas do “ouro do tolo” é um grande equívoco. Se todos tivessem o necessário para viver, o panorama mundial seria outro, mas há muito egoísmo, ainda, e muita gente boa quando “bate as caçoletas” vê quanto tempo perdeu, com bobagens.

 
Mas essa semana o meu amigo AILTON PEDRO, estava preocupado com o estado de saúde do nosso TITICO PEDRO. Nem pagando conseguimos ter uma assistência medica de qualidade. Estava faltando um medico especialista para tratá-lo. Isso no hospital da UNIMED.  AILTON me disse que a família estava se preparando para leva-lo a São Paulo. Pode?

 
O Fábio Damião, também sobrinho, chamou TITICO PEDRO DE “GUERREIRO” e ele é mesmo. Quando despertamos à vida, com base nos ensinamentos experimentados, como os da Doutrina Espírita, dentre outros, nos tornamos guerreiros do existir e aprendemos a qualificar a vida.  Sentimos “medo” de morrer, não pela morte em si, pois não existe, só atingindo o corpo físico. Mas quando o espírito desencarna despreparado, é complicado.
 

Mas, no final, tudo deu certo. Nós que lidamos com o Direito Social, que evolui sempre, à medida da maturidade da comunidade, esquecemos que temos um direito anterior, natural, que preexiste e nos regula no plano das diretrizes essenciais. Sabemos que a vida é uma matemática perfeita e que o que acontece conosco são consequências, reação, jamais ditame divino, que quer sempre o melhor para os seus filhos.


O apóstolo Paulo já asseverara que “O AMOR COBRE UMA MULTIDÃO DE PECADOS”. Então, nada mais justo que espalhemos o bem, para que as nossas dívidas sejam amenizadas e o sofrimento não seja tão sofrido assim.


TITICO, estamos lhe esperando. Sem a metade da perna, mas como muito amor no coração. A tecnologia contemporânea tem pernas mecânicas que sequer vais notar que perdestes a natural.


Façamos o bem, ele é o nosso advogado em qualquer lugar.

 
PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA MESMO

www.pensenisso.itaporanga, net

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

ESPERANDO O FICA II













Merlânio Maia

VOCÊ QUE FICA NÃO SABE
O QUE É NA VERDADE O FICA
FICA É UM FESTIVAL
DA NOSSA CULTURA RICA
POESIA, CORDEL, FORRÓ,
NO VALE DO PIANCÓ
ITAPORANGA LHE INDICA
DE 15 A 17
DE JEGUE, CARRO OU FUSQUETE
VENHA PRO II FICA

SERÁ EM ITAPORANGA
O DISTINTO FESTIVAL
II FICA CONVIDA
VOCÊ A MUDAR DE ASTRAL
LÁ TERÁ ARTE DA BOA
SE QUISER LEVE A PATROA
JÁ VOU DEIXAR MINHA DICA
MÚSICA E POESIA NA PRAÇA
MEU SERTÃO CHEIO DE GRAÇA
CONVIDA AO II FICA

Paulo Rainério Brasilino, Bebe Natercio, Guarani-Kaiowá Makarios, Edilma Bernardino, Marcos Maia, Vera Bernardino, etc. vamos divulgar moçada!