quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Uma Conversa Entre Amigos


Por Reynollds Augusto  em 30/11/2011
Meu amigo Ivani - Itaporanga –Pb 29.11.2011

De início, ou preliminarmente, peço vênia pela subtração insistente do “I”, do seu nome. É interessante como uma simples letra muda tudo. Mas não é de propósito e sim displicência.

É certo que vivemos no mundo da impermanência e nada fica para permanecer e tudo existe para se modificar. O mundo das formas se transmuta com a perpassar do tempo, que segundo o grande Einstein, é uma grande mentira.

A grande verdade, longe de ares filosóficos, é o aqui e o agora, que se esvai vertiginosamente. Com ele temos uma aparente certeza, segurança e impressão de vida, pelo menos momentaneamente.

Mais uma vez esse momento já passou.

E o que é o tempo? Tempo, tempo, tempo...

A nossa aproximação, mesmo com essa distância “danada”, é o resultado de um longo processo de evolução científica. Isso não é acaso e sim conquista, estudo, trabalho em um
tempo (olha o tempo aí de novo) em que o ser humano desenvolveu a asa da razão, faltando a do sentimento para que esse vôo das conquistas se realize na sua completude. Quando essas duas asas não se equilibram, o nosso orgulho, a ânsia de poder, e de auto-suficiência falam mais alto e cometemos desatinos.

Por exemplo, o brasileiro Santos Dumont , construiu o avião para diminuir distâncias e aproximar as pessoas. Depois, um inconseqüente, deu um jeito de adequar ao transporte “dos
céus”, bombas para exercer o domínio sobre outras pessoas, fruto do egoísmo e do orgulho humano. A invenção foi maculada pela falta de consciência de que somos um todo, apesar de sermos unidades individualizadas, e ninguém é maior ou melhor do que ninguém. O avião se transformou em uma bomba que aniquila irmãos.

Mas não acredito em acasos, pois a vida é uma “engenhoca” muito inteligente para que os eventos surjam inadvertidamente. Eu sei que há uma ordem dentro da desordem. Isso é certo.O aparente concreto é só aparência mesmo e talvez tenha sido por isso que os religiosos de
muitas ordens tenham distorcido o valor da mensagem deixada por Jesus, que você acredita não ter existido, mas que eu, em contraponto, tenho certeza que esteve sim, nessa casinha minúscula que chamamos de Terra. Há muitos relatos científicos e provas materiais de tudo isso. Mas descobri algo com a experiência , sem querer lhe afrontar, nós só acreditamos no que queremos acreditar.

O pré-sentimento é, em muitas vezes, a intuição de mentes extra corporais, que continuam a existir em um plano diverso disso que chamamos realidade. Aliás, o materialismo morreu
depois que os cientistas descobriram que não existe matéria e sim que tudo é energia condensada. Essa condensação é o reflexo de “milhões e milhões de anos”, até que se
estabelecesse o mundo das formas, condição necessária para o aprimoramento do espírito imortal que usa o arcabouço físico , que é um instrumental, para evoluir, se aperfeiçoar, que os religiosos chamam de “Salvação”.

Mas uma palavra. São apenas palavras, palavras.

Sugiro que você leia O LIVRO DOS ESPÍRITOS e sinta a lucidez das questões e as respostas seguras dos imortais. Não se trata de conversão, pois você é muito seguro do que acredita e sim apenas uma outra forma de ver a questão, como enriquecimento pessoal no conhecimento, com teorias diversas.

http://www.espirito.org.br/portal/codificacao/le/index.html

Ainda bem que somos um país plural, com diversidade de opiniões e de posições. Isso enriquece a cultura humana.

Nas entrelinhas, sinto que você acredita em uma força causal, que não necessariamente seja essa das religiões. Mas é inteligente concluir que o nada não cria nada, pois o nada nem existe. Desculpe o trocadilho.O “deus” antropomórfico, não é o Deus, causa primária de tudo. As
culturas o apelidam de outros nomes diversos, mas são apenas nomes e o nome é estabelecimento cultural.

Há um fato: Tudo que existe, que não é obra do homem, há de ter um causa e essa causa é inteligente.A inteligência das inteligências, pois a vida é inteligente e por conseqüência a causa também o é. Não se pode admitir que uma forma magnífica provenha de uma “mente” medíocre. A natureza é perfeita demais para ter surgido do nada. E nós sabemos que as melhores construções, sejam elas provindas do campo científico, artístico ou outra área do saber humano é resultado de um pensamento bem elaborado e assim concluímos que para que algo exista, antes seria preciso que alguém ou algo pensasse, pois as coisas não surgem do nada.

Há um pensamento anterior.

O que é?

Paz, do amigo paraibano
Reynollds.
........................................................................................................................................................

RESPOSTA:

Caro amigo paraibano Reynollds
Não corremos o risco da afronta por pensarmos diferente. O único risco que corremos é o do aprendizado recíproco. Talvez dissesse Augusto dos Anjos em seus vôos de poesia. Você dissealgo da maior simplicidade, verdade e elegância: Tudo que existe, que não é obra do homem,há de ter um causa e essa causa é inteligente. Concordo inteiramente, aliás, isso nunca foiproblema para mim, só que não faz de mim um crente. Minha ignorância não precisa de nome(Deus) e nem de uma explicação religiosa como um consolo mesquinho.
Não existe relao científico e provas materiais alguma de tudo isso que contesto, ou seja, o deus da bíblia e seu filho Jesus Cristo. O que existe é uma crença antiga que tocou o sentimento de muitos e com mentiras tentam protegê-la da embrulhada que se meteu. Nas linhas seguintes pretendo apenas sublinhar o que penso e porque penso.

Obrigado pela indicação de leitura de obras espíritas. Já li alguma coisa no passado, porém o fato de os espíritas acreditarem na existência de um Jesus histórico me desanima
completamente. Não pretendendo ler mais nada disso. Aquilo no que acredito nunca
dependeu de fé. Vou lhe dar um exemplo: fiz parte de um grupo de pesquisa e estudos das
religiões numa universidade pública, aqui no Rio de Janeiro. Por questões de má administração e politicagem o projeto não vingou naquele ano. Havia duas colegas pertencentes à igreja Messiânica, muitos umbandistas, cardecistas e protestantes. Ateus, éramos dois, mas depois fiquei só eu.

O que eu estava fazendo ali? Aprendendo e aprendi muito. As duas mulheres messiânicas
insistiam pela abordagem do tema “gratidão”. De pronto percebi a utilidade prática da
proposta delas, mas havia resistência no grupo. Entendo as providências espirituais como
reprogramações da nossa mente. Os sentimentos são manifestações biológicas que podem ser redirecionadas. Como vocês dizem que o espírito precisa do corpo para evoluir, o corpo é a sua expressão biológica. Portanto, manifestações do corpo ou do espírito é a mesma coisa.
Admitoque eu não tenho um conceito formado do que seja espírito, o que não me perturba. O fato é que hoje posso fazer distinções que nada tem a ver como opção de crença, como você sugeriu.
Por exemplo: o cristianismo ainda é tratado como se fosse uma simples religião qual as
demais. Nada mais falso.
Quando uma crença religiosa passa a impor costumes, interferir direta ou indiretamente no
poder civil, assumir a educação e o ensino etc., criar sua própria história (história universal) porque tem pretensões universais, deixa de ser uma religião para torna-se uma cultura religiosa. Aproveita-se das carências humanas criando dificuldades para vender facilidades. O suposto cristianismo do primeiro século é pura ficção e o entendimento disso um remédio amargo. Aí, a mentira deixou de ser pecado, é uma necessidade política, para eles. Mas, depois de dois mil anos, vai convencer o povo disso... O sentimento rejeita com a mesma tenacidade de uma revelação indesejável do tipo: olha seu pai não valia nada. Era um ladrão safado. Vai ser a custa de muito sofrimento que o indivíduo que tinha uma visão doméstica daquele ente querido vai compreender isso. Quem quer sofrer ainda mais do que sofre? Então, o melhor é deixar tudo como está? Com relação a uma pessoa até é possível, com relação à humanidade é inaceitável. Mas o mundo não vai acabar por causa disso. Vai ter é um monte de gente dizendo: bem que eu desconfiava... A quantidade de pessoas que estão abandonando a fé cristã é um sintoma a ser levado em conta. Há um grito contido contra tantas maquinações maquiavélicas de gente que quer se libertar do jugo da mentira oportunista. Entretanto, nada se pode fazer porque a versão oficial “precisa” ser preservada da enxurrada de desaforos que cairão sobre ela. Afinal, ela é base da nossa cultura. Não dá para fazer a omelete sem quebrar os ovos.

Grande abraço e sucesso sempre,
Ivani.

Geração Anos 60 70 80

http://4.bp.blogspot.com/_q-2-WREHNmc/Rcg5JkaDYbI/AAAAAAAAA4Q/o82cpX4ddMs/s400/00001.jpg 
Saudosismo. Para quem teve sua infância nos idos dos anos 60, 70, 80. Quando a gente era feliz e não sabia.


domingo, 27 de novembro de 2011

QUEM DIRIA!

QUEM DIRIA  QUEM DIRIA
Quem Diria
                                                    (Reynollds Augusto)

Na roda do tempo e na roda da vida tudo muda e se transforma e nada permanece do mesmo jeito e da mesma forma. Apesar de cada dia se nos surgir como se fosse outro exatamente igual, do mesmo modo que o anterior, vemos que não é verdade, pois Deus jamais repete. Cada dia é diferente do outro. As pessoas mudam,as paisagens mudam, a cidade muda,o Estado muda, o Pais muda e nada fica para permanecer e tudo existe para se transformar. Isso se chama evolução, umas das leis de Deus que impulsiona os seus filhos para frente, que somos todos nós. Foi por isso que o sábio dos sábios, no meu ponto de vista, Jesus de Nazaré, já nos de uma dica interessante para se viver em harmonia e sem stress: “A cada dia o seu mal”.

Se você quer ser feliz, escolha ser agora. Mas o faça sem condição. Acorde e seja feliz. Aproveite os detalhes da vida, que são eles que realmente nos traz a felicidade. Por exemplo, um “degustar do melhor e maior líquido que a vida nos permite e que não tem cheiro, gosto e cor, que é a água. Aproveitar minuciosamente, as gotículas dessa mesma água descendo sobre o corpo, massageando a alma, depois de um longo dia de calor desértico de nossa querida Itaporanga, nessa que é definitivamente a Rainha do Vale, com toda a sua majestade, é uma sensação dos “Deuses”. Acordar cedinho e dar aquela volta “olímpica” no início da manhã e sentir esse ar gostoso, puro, sem poluição, ainda é outra magia da vida. Apreciar o Cristo Rei do eterno padre Zé, lá no topo da Serra do Cantinho, que me faz relembrar o grande Dedé do Cantinho, com o seu velho fole. Ela que é a terceira maior estátua do Brasil e tão bela quanto à do Cristo Redentor, da terra do meu amigo internauta, Ivan Medina, do Rio de Janeiro, é algo espetacular. São nesses detalhes do existir que encontramos a verdadeira felicidade.

Outro dia, na TV Brasil, eu me senti triste pelo que passam os nossos irmãos paulistas, que apesar de possuírem a maior economia do Brasil, ou da América Latina, vivem em um caos natural, respirando fuligem de carros e mais carros que surgem a cada ano e não sei pra que? É uma grande besteira você está trocando de carro todo ano, sem falar da munição que damos às fábricas para produzirem mais e mais poluidores de ambiente. É claro que, em dias de hoje, não se pode viver sem transporte. Isso é irrealizável. Mas é claro, também, que trocá-los quase todos os anos é uma grande falta de consciência e ajuda a denegrir o meio ambiente. O planeta Terra que o diga.

Mas essa roda do tempo é apreciável e hoje vemos o nosso Brasil, ainda cheio de chagas, a mudar de perfil no cenário internacional. Hoje o mundo dos ouve e os últimos presidentes contribuíram para isso. Eu, em especial, confio na força da mulher e a nossa Presidente Dilma, realmente, sabe o que quer e como conduzir essa nação – “Coração do mundo, Pátria do Evangelho” – com seriedade e amor de mãe. A semana passada eu me emocionei com a recepção que os nossos atletas especiais tiveram por parte da nossa administradora. Alegria, entusiasmos e esperança dos olhos de todos os nossos irmãos vitoriosos.

É sabido que todos nós fomos criador por Deus para ir à busca da perfeição relativa e isso significa substituir equívocos milenares, que trazemos conosco na “roda da evolução” e que precisam ser combatidos para que haja a depuração de cada um. Podemos chamar o fenômeno de transformação realizada, que pode acontecer por consciência ou por imposição. É que ninguém consegue fugir da força do progresso que se realiza no campo do aperfeiçoamento científico e moral. Sem essas duas asas o “pássaro” não consegue voar. É preciso as duas. “Razão e sentimento, na vida em movimento”.

Aproveite os detalhes da vida

PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA MESMO.