sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

É ASSIM QUE DEUS QUER

É ASSIM QUE DEUS QUER

(Reynollds Augusto)

Eu sempre achei engraçada a percepção medíocre que nós, espíritos atrasados, temos da vida. Nós vivemos como se nunca fossemos morrer, ou seja, esquecemos que estamos na contagem regressiva para a partida e gastamos as nossas energias para conquistar os valores impermanentes, buscando as ilusões que nos assaltam a alma. E tem gente que acha que esse negócio de morrer está longe. Bobagem! O tempo é outra ilusão que nos engana. Não temos tempo (que não existe, segundo Einstein) a perder. A morte do corpo físico liberta o espírito para fazer o balanço dessa existência. Poder crer!

As grandes verdades sempre foram ditas por grandes homens, que reencarnaram no planeta Terra objetivando ensinar a humanidade a progredir. Deus nunca nos deixou a mercê da nossa ignorância, pois a sua palavra de ordem é progresso e um dia todos nós divisaremos a luz da razão espiritual. Jesus já profetizou que “nenhuma só das ovelhas do meu Pai se perderá”. Isso independe de religião, pois será conquista da individualidade imortal, que somos todos nós.

Aquela “musiqueta” de Jonh Lenon em que ele sonha que não haverá religião, vai se concretizar. Religião é coisa de homem. Pode até ajudar o indivíduo a se aproximar de Deus, mas em algumas vezes até o distancia ainda mais. Essas religiões institucionalizadas, com paramentos e tudo mais estão com os dias contados. A ligação será pessoal, comprometida, vinculada ao comportamento ético-moral. Dizer que crer em Deus é fácil. É só abrir a boca. Viver os seus preceitos morais é que faz a diferença. As religiões estão cheias de indivíduos e o mundo seco de verdadeiros cristão. Talvez seja por isso que o mundo geme, há muito bla, bla, blás e pouca ação no bem.

Mas o conhecimento da verdade (verdadeira) liberta a alma é dá impulso ao existir, para vencermos os obstáculos que nós próprios colocamos no nosso caminho. Todos temos a vida que merecemos, pois há uma jurisdição divina que nos abarca a todos, sem privilégios e age silenciosamente em nossos momentos dando a cada um o que é seu, de verdade.

Tudo isso me fez relembrar momentos da mitologia grega. Eu gosto da mitologia grega, pois àquela época reencarnaram alguns espíritos experimentados, como Sócrates, por exemplo. Disseram verdades aprimoradas por Jesus. Quem nunca ouviu falar de estória de Belerofante? Era um herói mitológico que usava o cavalo alado pégaso para voar. Certa feita ele obteve a proeza de vencer as amazonas, umas tais mulheres guerreiras. Hoje em dia temos muitas mulheres amazonas. Mulheres guerreiras, fortes que trabalham três turnos. Dois na rua e o resto em casa, administrando o lar e exercitando a paciência com maridos chatos. (alguns)

Mas certa feita ele matou a QUIMERA que era um ser não muito bonito, pois tinha cabeça de leão, corpo de cabra e cauda de dragão. Pense num bicho estranho! Essa beldade vivia espalhando terror às populações, mas o Pégaso guiado por nosso herói conseguia escapar dos jatos de fogo arremessados por essa figura destrutiva e o herói BELEROFANTE conseguiu a proeza de matar o “animalzinho” com um certeiro golpe de espada. Eu só não gostei do fim do herói. Homero diz em, A Ilíada, que os deuses ficaram contra eles e o condenou a vagar sem roteiro, sozinho, a devorar o próprio coração. Triste! O que não fizera?

Isso me fez relacionar a mitologia com os desafios da existência. Os nossos problemas cabem certinho em nossas vidas. Nós o construímos com os nossos pensamentos e nossas ações. Acho que tem relação com o mostro QUIMERA que sempre se faz presente em torno de nós. São situações que podemos solucionar, pois Jesus disse que Deus não coloca “fardos pesados em ombros que não podem suportar” e que nós com os nossos medos e dúvidas, colocamos uma lente de aumento nas dificuldades de nossas vidas e imaginamos tudo muito difícil.

Há uma saída? Há.

Jesus disse que nós somos deuses (com "d" minúsculo) e que podemos vencer esses monstros ameaçadores, basta a consciência de si mesmo. Basta resgatar a força que está em nós como potencialidades divinas que detemos e reduzir os

nossos problemas às dimensões reais. Não somos coitadinhos e sim filhos de Deus que na experiência da vida estamos evoluindo até atingirmos a perfeição relativa, porque que Deus quer. O resto são quimeras.



PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA.

domingo, 12 de dezembro de 2010

Escolha o Principal

O PRINCIPAL



Era uma vez uma mulher pobre que caminhava por uma estrada, carregando pequena filha ao colo. Ao passar perto de uma caverna, ouviu uma voz que vinha lá de dentro:
- Entre e pegue tudo o que desejar, mas não se esqueça do principal.
A mulher não acreditou muito no que estava ouvindo e aproximou-se mais da caverna, quando novamente ouviu:
- Entre e pegue tudo o que desejar. Fique sabendo, porém, que depois que você sair à porta da caverna se fechará para sempre. Assim, aproveite a oportunidade, mas não se esqueça do PRINCIPAL.


A mulher entrou e ficou maravilhada. Era um tesouro, como muitas jóias e pedras preciosas.Ela, então, colocou no chão e começou a recolher as jóias em seu avental.


Logo em seguida, ouviu novamente a voz:


- Agora você tem apenas 3 minutos.


A mulher apressou-se em recolher o quando mais podia e saiu correndo da caverna, que logo em seguida fechou a porta.


Só então a mulher se deu conta de que havia esquecido a filha lá dentro, e agora nunca mais poderia pegá-la. O Tesouro durou pouco tempo, mas o desespero da mulher foi para sempre.



                                                                      MORAL



• Podemos comparar essa história com a nossa vida. A caverna é o PLANETA TERRA e o tesouro são as OPORTUNIDADES que nos são oferecidas por Deus



• O PRINCIPAL: são os relacionamentos fraternais, os valores morais e intelectuais, que enobrecem a alma e lhe proporcionam a verdadeira felicidade.



• Enquanto estamos por aqui, devemos utilizar as coisas e poderes terrenos com sabedoria e amor, justamente para que não entremos em desespero quando as portas se fecharem pelo fenômeno DA MORTE.

• No entanto, muitas pessoas, porque não acreditam na vida depois da morte, prosseguem querendo apenas encontrar o tesouro dos prazeres, a qualquer preço, dando menos valor ao PRINCIPAL, E, para conseguirem o que querem, são capazes de fazer o próximo sofrer.



• A vida na Terra é uma rápida experiência, comparada à imortalidade do espírito. Viver é estar matriculado na Escola da Alma. Mas o que se pode dizer de um aluno que falta às aulas, não está atento às lições e professores e em se submete aos testes de conhecimento?



• Assim como o aluno relapso é obrigado a repetir a mesma série, também a alma é compelida a repetir as experiências, até que aprenda a lição. Contudo, isso implica em perda de tempo e esforço sobrado, ou seja, é motivo de sofrimento.


• De que valem as conquistas terrenas, se, com isso, vamos demorar a alcançar os prazeres dos céus?

• É preciso acreditar nisso, para que não nos enganemos com relação ao que seja O PRINCIPAL para a nossa felicidade. E nem sempre precisamos MORRER para dar conta do tempo perdido e das oportunidades desperdiçadas.



• A vida dá tantas reviravoltas que muitos aqui mesmo acordam para a realidade. Mas, muitas vezes, acordam de forma dolorosa.



• Correm atrás do dinheiro, mas perdem os filhos para a sociedade e envelhecem na solidão. Alcançam poder e autoridade, mas ganham inimigos e vivem amedrontados. Gozam em excesso os prazeres da carne, cultivam os vícios, mas, de repente, estão doentes e passam a freqüentar médicos e hospitais.

• Por isso, se você está recolhendo os tesouros da Terra, cuidado, pois logo a porta da vida se fechará para você



NÃO VÁ SE ESQUECER DO PRINCIPAL



PENSE NISSO! MAS PENSE AGORA


• Texto de Donizete Pinheiro