sábado, 17 de julho de 2010

Voto - O Poder de Fogo do Vale

por: Jesus Soares da Fonseca

“Negar o Voto aos atuais detentores de mandato como resposta e advertência do Vale Unido, com a certeza que a oportunidade será dada para outros que estão a iniciar a Vida Pública voltada para o Bem Estar de todos”. Foram estas as palavras de nossa incansável Luzia, escritas em uma de suas mensagens na sua luta pela implantação da UFCG do Vale do Piancó, em Itaporanga, das quais me valho na elaboração desta matéria.

A Paraíba com seus 2.688.385 eleitores, formando o quinto Colégio Eleitoral do Nordeste, elegerá nas eleições deste ano 12 Deputados Federais, 36 Estaduais e 3 Senadores, além do Presidente e Vice do Brasil. Vamos nos ater as Forças que atuam dentro do Estado porque, justamente, são elas que têm a obrigação e o Poder de trabalhar e resolver os problemas internos paraibanos.

Muitos candidatos às eleições proporcionais já foram lançados para concorrerem aos cargos de Deputado Estadual e Federal, em nosso Estado. A concorrência é grande e para se chegar ao alcance de alguma cadeira pleiteada, o candidato terá que obter o Quociente Eleitoral (QE) para se firmar como um dos parlamentares a freqüentar as Câmaras Estadual ou Federal. Para Deputado Federal, o QE paraibano será de 224.032 votos e para Estadual será de 74.677.

Como é sabido, poucos candidatos conseguem atingir os QEs nas eleições, necessitando dos votos das legendas partidárias ou coligadas para complementarem os seus ao alcance do Quociente. Como dá para se notar, o Vale do Piancó com seus 123.033 eleitores, correspondendo a 4,57% dos votos da Paraíba, tem poder para eleger quase que dois deputados estaduais e tem exatamente 55% do QE para Deputado Federal (QE-Dep. Federal = 224.032; Votos do Vale = 123.033).

Então, como podemos notar, nossa Região é poderosa no cenário político Paraibano, daí os interesses desta turma de fora de suas plagas em busca deste rico quinhão eleitoral. Muitos já se locupletaram em eleições passadas, distribuindo favores a alguns gatos pingados tidos como cabos eleitorais que nunca moveram, sequer, uma pá de cal em benefício do progresso Valense mas, tão somente em proveito próprio e de alguns que os cercam, nada fazendo que contribuísse ao Desenvolvimento do Vale do Piancó, mesmo alguns de seus próprios filhos, agraciados com o Poder pela ignorância e ingenuidade política de seus conterrâneos.

É aqui que entro com as palavras de Luzia. Vamos esquecer esta turma toda, inclusive seus apaniguados aí pela Região, negando-lhes os votos, não com anulação ou deixando de votar, mas procurando aqueles que querem entrar na Política com o intuito honesto de trabalhar pelas pretensões de nossas plagas, de nossa Região. Não gosto de citar nomes, mesmo porque poderá haver um entendimento de que eu esteja angariando voto particularmente, o que não é o caso. Entretanto, temos pessoas de bem, homens instruídos, principalmente no seio da Política, filhos do Vale, “Sangue Novo”, candidatos aos postos das Câmaras do Estado, voltados para os anseios de nossa gente. Procuremos, pois, eleger estes nossos novos conterrâneos para ver se o Vale deixa de ser OBJETO de engorda daqueles “mesmos” e de seus familiares.

Eleição se faz assim! Elegem-se as pessoas, se após quatro anos de mandato não foi o que se esperava delas, desprezam-nas nas próximas eleições e assim vai, até se encontrar o candidato ideal. Creio que se estes Novos Candidatos forem eleitos, inteligentes como são e conhecedores dos novos tempos, de sua tecnologia, de comunicação avançada, procurarão corresponder aos anseios daqueles que sufragaram os seus nomes, mesmo porque em assim não procedendo, nos próximos pleitos serão esquecidos e jogados fora, assim é que deve ser.

Comungo do pensamento do nosso conterrâneo, o Economista Chico Alexandria, quando diz que não devemos anular voto. Veja bem, no “frigir dos ovos” ninguém consegue anular seu voto, como pensam alguns. Numa Eleição Majoritária, por exemplo, o voto tem conotação dupla, ele soma de um lado e subtrai do outro. Quem anulou seu voto, após as apurações, verá que na realidade ajudou o candidato vitorioso. Suponhamos uma eleição a ser realizada com um colégio eleitoral de 11 votos. Duas pessoas votaram nulas, o Candidato Fulano recebeu 4 votos e o Sicrano recebeu 5, logo este foi o vencedor. Agora imagine, se estes dois eleitores do voto nulo tivessem votado no Candidato Fulano, ele teria sido o vitorioso com 6 votos. O Voto NULO, nesta nossa hipótese, alcançou o seu objetivo? Não! Talvez tenha até contribuído para eleger um corrupto.

Nas Eleições Proporcionais, a anulação do voto é mais perigosa ainda, pois anulando nosso voto estaremos dando chance a um bando de picaretas chegar ao Poder. Como falei acima, para se eleger, o candidato tem que atingir determinado Quociente Eleitoral, o conhecido QE, no caso da Paraíba como já vimos, estes QEs são: Deputado Federal, igual a 224.032 votos e Estadual igual a 74.677.

Suponhamos o resultado das eleições 2010 para Deputado Federal com partidos e coligações hipotéticos afim de se preencher 12 vagas. Para o preenchimento destas vagas é necessário o conhecimento do Quociente Partidário, o QP, que irá dizer quantas vagas caberá a cada Partido ou Coligação.

A Coligação (PXT, MED, PY, PN) obteve 982.499 votos válidos votos, distribuídos pelos seguintes candidatos:
A obteve 212.325;
B obteve 200.690;
C obteve 159.578;
D obteve 140.768;
E obteve 100.567;
F obteve 98.368 e
G obteve 70.303.

Seu QP foi obtido assim: 982.499 / 224.032 (QE) = 4,38 despreza-se a parte decimal, logo, a Coligação ficou com quatro Vagas, destinadas aos quatro primeiros colocados na votação da Coligação, Candidatos A, B, C e D, respectivamente. O perfil dos candidatos na nossa hipótese é o seguinte: A, B, C e D bons candidatos, sendo que C e D são filhos do Vale do Piancó que além da votação obtida no Vale, 62.520 para C e 60.513 para o candidato D, obtiveram votos em outras cidades, alcançando o 3º e 4º lugar em sua coligação. Os candidatos E e F são dois picaretas, aventureiros que, por força das circunstâncias, foram derrotados. Isto ocorreu num pleito realizado normalmente.

Partimos, então, para a revolta do Vale do Piancó, anulando todos os seus votos. Que acontecerá? Vejamos: O Candidato C, do Vale do Piancó, sem os seus 62.520 do Vale, porque foram anulados, passaria a ter 97.058 votos (159.578 – 62.520 ) e o candidato D, tambem do Vale, de igual forma sem os seus 60.513 que foram anulados, passaria a ter 80.255 votos (140.768 – 60.513). Em razão disto, seriam eleitos os candidatos E e F por ficarem, dentro da Coligação, em 3º e 4º lugares, respectivamente. Quer dizer, duas pessoas de bem deixaram de ser eleitas em detrimento de dois outros desonestos, por força dos votos nulos do Vale do Piancó,
São conjecturas que podem se tornar realidade quando a prática do VOTO NULO ou em BRANCO acontece. O VOTO é uma arma poderosa com o qual o cidadão poderá destruir politicamente indivíduos inescrupulosos que querem passar para trás toda uma Comunidade. VOTO NULO é como uma bala cuja espoleta perdeu o poder de detonação. Os Vivaldinos da Política pouco caso dão a votos nulos, principalmente nos Cargos de Eleições Proporcionais (Deputados Estadual e Federal), muitos sabem que poderão se beneficiar, até, de tal prática, como no exemplo que frisei acima. Então aprendamos a votar! Votar com a certeza de que estamos colocando como nossos representantes, lá nas câmaras, homens dignos e ciosos de seus compromissos para com aqueles que sufragaram os seus nomes. Se assim tivéssemos procedido desde o início, cidadãs como Luzia não estariam neste Vale de Lágrimas a implorar o Progresso de uma Região tão sedenta de cultura.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

12° EJEP E 5° SERTÃO JOVEM - 3 DIAS

PROGRAMAÇÃO DO 12º EJEPB & 5º SERTÃO JOVEM ESPÍRITA


SEXTA 16/07/10
9h – Recepção e Credenciamento

12h – Almoço

14h Integração

14h15min – Cerimonial de Abertura

14h30min – Palestra – Rossandro Klingey – Tema: O Espiritismo amplia a consciência do jovem quanto ao livre-arbítrio?

15h30min – Apresentação Artística

16h – Intervalo

16h30min – Acolhida dos Ciclos

Juventude – 1º Ciclo: 13 e 14 anos

Juventude – 2º Ciclo: 15 a 17 anos

Juventude – 3º Ciclo: 18 a 21 anos

17h30min – Conhecendo novos amigos

18h – Jantar

20h – Harmonização e prece – Wallace e Neifa

20h10min – Palestra – Rossandro Klingey – Tema: Diversões Apelativas

21h30min – Harmonização e prece final – Kaio – Campina Grande-PB

22h30min – Recolhimento aos alojamentos

SÁBADO – 17/07/10

6h – Acordando no Sertão

7h – Café da Manhã

8h – Harmonização e prece – Wallace e Neifa

8h30min – Ciclo de Estudos PARTE 1

Juventude 1º ciclo 13 e 14 anos

Expositores: Iara Machado e Marco Lima (Tema: Limites do período da adolescência)

Juventude 2º ciclo 15 a 17 anos

Expositores: Neto Batista e Carlos Sérgio (Tema: Namorar ou ficar? É possível agir diferente?

Juventude 3º ciclo 18 a 21 anos

Expositores: Denise Lino e Joedla Rodrigues (Tema: A influência das ideias espíritas nas vidas humanas)

10h – Intervalo

10h20min – Ciclo de estudo PARTE 2

11h30min – Conhecendo novos amigos

12h – Almoço

14h – Harmonização e prece – Fernanda Lima

14h15min – Mesa redonda

Expositores:

Iara Machado e Marco Lima – Limites do período da adolescência

Neto Batista e Carlos Sérgio – Namorar ou ficar? É possível agir diferente?

Denise Lino e Joedla Rodrigues – A influência das ideias espíritas nas vidas humanas

15h45min – Intervalo

16h – Conversa Fraterna com Rossandro Klingey (Tema: Causa e Consequências das nossas

escolhas)

17h30min – Intervalo

18h – Jantar

20h – Noite de Arte e Cultura Espírita

22h30min – Recolhimento

DOMINGO – 18/07/10

6h – Acordando no Sertão

7h – Café da Manhã

8h – Apresentação artística

8h30min – Palestra - Joedla Rodrigues: Passo a passo com Jesus e Kardec

9h30min – Intervalo

9h45min – Encerramento – Percíncula Lima – Homenagem a Chico Amor Xavier

10h30min – Apresentação Artística

12h15min – Almoço de Confraternização

A MELHOR PARTE



A MELHOR PARTE


(Reynollds Augusto)



Eu tenho saudades dos bancos da academia básica, que sempre nos permite a possibilidade de ver a vida de maneira mais aberta e quase sempre com fundamento em uma dimensão mais ampla e mais crítica da realidade social que nos circunscreve. A graduação nos fornece um leque de conhecimentos gerais, já a especialização nos aproxima de setores pontuais da dinâmica social e temos meio que uma lente de aumento para perceber os grandes problemas da sociedade, que é agrupamento de relação, de ordem divina e também estruturada pelo Direito. Talvez seja por isso que a aguerrida Luzia clama e cobra dos nossos pseudo-políticos mais empenho para que a universidade chegue ao vale e permita que o povo excluído se politize e saiba dizer “SIM, SIM, NÃO, NÃO”, como asseverou o ser mais evoluído que encarnou nesse “orbezinho” cheio de orgulho e egoísmo, ainda: O nosso mestre Jesus. E isso sem a pieguice das religiões tradicionais que precisam avançar na compreensão das grandes mensagens veladas que estão contidas nos livros ditos sagrados.


Fecho os olhos e “ouço” o meu professor constitucionalista Erivaldo dizer com sabedoria que “Onde está a sociedade, está o Direito”, (ubi societas, ibi jus) sendo uma assertiva que não permite contraposição, pois a relação social sem o Direito que inibe o comportamento de pessoas desequilibradas implicaria em toda sorte de absurdos. É claro que o Direito evolui com o tempo e à medida que o cidadão também evolui e se politiza, o justo vai tomando conta das normas que nos norteiam, pois vai escolhendo mais acertadamente os seus agentes políticos. Mas isso é matéria que daria um livro para se discutir...


O que eu quero dizer é que a sociedade também é projeto Divino, pois tem como célula, a família, o ponto de equilíbrio maior que se reflete no todo social. Quando a sociedade vai mal é que a família vai mal. Notamos que os valores morais desse ninho social estão em muito se perdendo com a coisificação dessa instituição, principalmente com essa mídia sórdida que apela de todo jeito para que você consuma mais e mais e quando mais jovem, melhor. O planeta não agüenta tanta bugiganga e não há matéria prima para tanta “bobagem”. Os espíritos dizem que a Terra tem condições de fornecer tudo que o homem precisa pra viver em paz e em equilíbrio, mas ele fica criando necessidades que na realidade não possui e se continuar nesse passo vamos sofrer um bocado. E haja Lixo. E haja dor.


Não há dúvidas que Deus fez o homem para viver em sociedade e nos deu a palavra e todas as demais faculdades para que houvesse esse relacionamento com o fito de realizar o progresso e a ajuda mutua. O egoísmo e o orgulho impedem o homem de perceber essa verdade. A evolução é lei natural e para que o homem progrida ele precisa do relacionamento com o outro que faz completar as conquistas. O que um homem não tem o outro possui e unindo as forças pessoais o progresso se realiza. Mas para que isso se dê é preciso adquirir maturidade espiritual e ter “ouvidos de ouvir e olhos de ver” e só assim o homem consciente escolherá a melhor parte, como Maria no Evangelho:


“Continuando o seu caminho, Jesus entrou numa aldeia. E uma mulher, de nome Marta, recebeu-o em sua casa. Tinha ela uma irmã, chamada Maria, a qual, sentada aos pés do Senhor, escutava a sua palavra. Marta, porém, andava atarefada com muitos serviços; e, aproximando-se, disse: «Senhor, não te preocupa que a minha irmã me deixe sozinha a servir? Diz-lhe, pois, que me venha ajudar.» O Senhor respondeu-lhe: «Marta, Marta, andas inquieta e perturbada com muitas coisas; mas uma só é necessária. Maria escolheu a melhor parte, que não lhe será tirada.»”


PENSE NISSO!MAS PENSE AGORA

domingo, 11 de julho de 2010

CANTA, CANTA COTOVIA!

CANTA, CANTA COTOVIA!

Merlânio Maia
Homenagem a Auta de SousaPoetisa norteriograndense

http://merlaniomaia.blogspot.com/


Canta, Cotovia Triste!

Canta, canta, Cotovia!
Leva o alento, a alegria
Pra aqueles que não as tem
Faz o amor pulsar bem forte
Faz a luz vencer a morte
Faz o Evangelho suporte
Para que se instaure o BEM


Menina Auta teu canto
É vibração da mais pura
Cheia de encanto e ternura
Cheia de paz e oração
Que faz a dor fenecer
Faz o fraco engrandecer
Que faz a fé renascer
Nas terras do coração


Canta, canta, Cotovia!
Canta mais..., solta teu canto!
Faz parar o mudo pranto
Que o desespero produz
Levando aos famintos pães
Aos órfãos dá-lhes as mães
Aponta pros amanhãs
Como um dia fez Jesus


Canta, canta, Cotovia!
Nas negras noites de dor
Espalha teu esplendor
Faz soar os versos teus
Pra que a paz e a alegria
Desperte como a poesia
Que fez de ti Cotovia
A Cotovia de Deus!